Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

COBRANÇA

Silas Malafaia revela três ministros ‘contrários’ a Mendonça no STF

Pleno News

Nesta segunda-feira (11), o pastor Silas Malafaia publicou um vídeo em suas redes sociais revelando quais os ministros de Jair Bolsonaro estariam “prejudicando” a indicação de André Mendonça ao Supremo Tribunal Federal (STF). Na gravação, o pastor cobrou uma defesa pública feita por Ciro Nogueira, por Fábio Faria e por Flávia Arruda ao indicado de Bolsonaro.

Ex-advogado-geral da União, André Mendonça foi indicado em 12 julho pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga deixada pelo ministro Marco Aurélio de Mello no STF. Mas, desde então, seu nome não passou pelo primeiro passo para ingressar na Corte, já que Alcolumbre ainda não definiu a data do procedimento.

Malafaia iniciou seu vídeo afirmando que a indicação de Mendonça não foi feita por lideranças evangélicas, e sim de Bolsonaro.

– É inacreditável. Ministros de Bolsonaro, cujos gabinetes ficam no Palácio do governo […] são contra a indicação de André Mendonça ao STF? […] Nós não indicamos, líderes evangélicos, André Mendonça […] A indicação é do presidente Jair Messias Bolsonaro – afirmou.

Leia Também:  Governo aceita alterações, mas não abre mão de veto por 5 anos

Malafaia então questionou um jantar que o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, teria tido com o senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid e um dos principais opositores de Bolsonaro.

– Como pode, gente? A Folha de São Paulo dizendo que Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil, um dos mais importantes cargos políticos, vai jantar com Renan Calheiros, o cara que quer destruir Bolsonaro por interesses políticos – apontou.

Em seguida, o pastor cobrou um posicionamento público de Nogueira em defesa da indicação de Mendonça.

– Se o senhor Ciro Nogueira não foi jantar com ele [Calheiros] e se o senhor Ciro Nogueira é a favor da indicação de André Mendonça, convoque a imprensa. Não é pra mim, não. O senhor é obrigado a vir a público dar uma satisfação – pontuou.

Depois, Malafaia falou sobre o ministro das Comunicações, Fábio Faria. De acordo com o pastor, o ministro negou que tenha ido a algum jantar, como dito pela Folha. Silas Malafaia, no entanto, também cobrou apoio de Faria.

Leia Também:  "Lucimar moralizou Várzea Grande", diz senador sobre gestão

– Ministro, o senhor é obrigado emitir uma nota clara de apoio a André Mendonça. Os ministros palacianos são políticos, ele [Fábio Faria], o ministro Ciro Nogueira e a ministra Flávia Arruda, que é da Secretaria de Governo, são políticos. Eles são obrigados a emitir nota e [a] trabalhar pela indicação do presidente. Isso é uma vergonha, minha gente – destacou.

Por fim, Malafaia voltou a dizer que André Mendonça não foi indicado por líderes evangélicos e cobrou mais uma vez uma defesa pública dos ministros ao indicado de Bolsonaro para o Supremo.

– Não é pastor que está indicando André Mendonça. É uma vergonha, um preconceito e uma tremenda de uma safadeza contra André Mendonça! A indicação de ministros do STF é política. Vou repetir aqui: os ministros Ciro Nogueira, Fábio Farias e Flávia Arruda, que são políticos e ministros do Palácio, são obrigados a defender a indicação do presidente Bolsonaro, são obrigados a trabalhar em favor de André Mendonça. [Se] Não querem, caiam fora daí. Não podem estar aí, nesse lugar – ressaltou.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Pivetta assina compromisso por bioeconomia em Fórum dos Governadores da Amazônia Legal

GOV MT – Assessoria

 

Na 24º edição do Fórum dos Governadores da Amazônia Legal, o vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta (PDT), assinou a carta conjunta na qual os estados firmam o compromisso de promoverem a bioeconomia nos estados. O encontro aconteceu na cidade de Belém (PA) nesta segunda-feira (18.10).

A carta é também um convite para o setor privado nacional e fundos internacionais investirem e incentivarem a bioeconomia na Amazônia. A reunião ocorre em meio ao Fórum Mundial de Bioeconomia, que pela primeira vez ocorre fora da Finlândia.

Durante o encontro, Otaviano Pivetta destacou o compromisso de Mato Grosso com a preservação ambiental e o desenvolvimento sustentável da Amazônia e dos objetivos do Estado de preservar a floresta em pé.

“Trago a mensagem do Estado de Mato Grosso de que temos a convicção de que estamos no caminho certo. Definimos um plano para a neutralização do carbono no estado. O primeiro objetivo para alcançar a meta é o combate ao desmatamento ilegal. Habitamos um estado que se tornou nos últimos 10 anos o líder brasileiro na produção agrícola, e vamos crescer muito em produtividade sem fazer uso da Amazônia. Cerca de metade do nosso território é Amazônico, e nós queremos dar as mãos aos outros governadores da Amazônia Legal para preservar”, afirma o vice-governador.

O presidente do Consórcio, o governador do Maranhão, Flávio Dino, abriu a reunião contando sobre a função do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal como importante espaço para troca de experiências e avanços no desenvolvimento econômico e social da Amazônia Legal, de maneira harmônica e sustentável. O governador do Pará, Helder Barbalho, foi o anfitrião do evento.

Leia Também:  "Lucimar moralizou Várzea Grande", diz senador sobre gestão

Fazem parte do Consórcio os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

O encontro marcou também os preparativos da delegação de secretários que irão participar da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP 26), que acontecerá em Glasgow, na Escócia, entre 31 de outubro e 12 de novembro de 2021, sob a presidência do Reino Unido. Este é o principal espaço mundial de formação de compromissos multilaterais pelo clima.

Foi assinado ainda um documento para início das tratativas de captação de recursos para a preservação da Amazônia e combate ao desmatamento por meio do Memorando de Entendimento à Cooperação Alemã-GIZ e Emergente (LEAF Coalition), uma coalizão formada pelos Estados Unidos, Reino Unido e Noruega.

Fórum Mundial de Bioeconomia

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) também participa do Fórum Mundial de Bioeconomia, que discute de 18 a 20 de outubro, em Belém (PA), caminhos para o desenvolvimento sustentável com foco nas comunidades que residem na Amazônia, e na preservação da natureza. Líderes, entidades e especialistas, do Brasil e do exterior, debatem propostas voltadas ao desenvolvimento pleno da bioeconomia.

“Belém recebeu este importante evento para discutir modos de preservar a floresta e produzir de modo sustentável. Com a nossa rica biodiversidade, é importante e urgente transformar os ativos ambientais em receita financeira, fortalecer as cadeiras produtivas que preservam e promovam pesquisas para novas tecnologias. É preciso avançar na discussão da Bioeconomia que queremos para a Amazônia”, avalia a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

Leia Também:  Ministério Público de Contas alerta sobre encerramento de mandato em ano eleitoral

Em Mato Grosso, o incentivo à bioeconomia está diretamente relacionado aos produtos oriundos do uso sustentável da Floresta, como o café, a castanha do Brasil, guaraná, cacau entre outros. Também agregam à meta a eficiência no uso do solo sem abertura de novas áreas de floresta para produzir mais.

Bioeconomia é um modelo de desenvolvimento ligado ao aproveitamento dos recursos naturais aliados a utilização de tecnologias para criação de produtos e serviços mais sustentáveis. Na Amazônia, o potencial de desenvolver novos produtos que dependem da floresta em pé é muito grande, conta a gestora.

“Participei de uma etapa do Fórum Mundial de Bioeconomia representando a Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Estamos falando da manutenção da nossa floresta em pé, das nossas nascentes e aquíferos, e da nossa biodiversidade viva, moeda verde e reflorestamento das áreas degradadas. Esse é o futuro, fazer da floresta um ambiente econômico e saudável para o mundo”, conta o deputado estadual Allan Kardec.

Também fez parte da delegação de Mato Grosso o secretário Executivo da Sema-MT, Alex Marega, e a assessora de Relações Internacionais, Rita Chiletto.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA