Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

AFIRMAÇÃO

Maia culpa credibilidade do governo para saída da Ford do Brasil

O presidente da Câmara dos Deputados , Rodrigo Maia (DEM-RJ) , afirmou que a falta de credibilidade do Governo Federal causou o fechamento de unidades de produção da Ford no Brasil. A montadora norte-americana anunciou nesta segunda-feira (11), o encerramento das operações  de três fábricas no país e a demissão de 5 mil funcionários .

Nas redes sociais, Maia disse ser necessário realizar mudanças nas políticas internas para atrair capital estrangeiro no Brasil.

“O fechamento da Ford é uma demonstração da falta de credibilidade do governo brasileiro, de regras claras, de segurança jurídica e de um sistema tributário racional”, escreveu Maia.

“O sistema que temos se tornou um manicômio nos últimos anos, que tem impacto direto na produtividade das empresas”, concluiu.

 

 

A fabricação de veículos da Ford será encerrada até dezembro de 2021. Os veículos da montadora serão importados de países latino-americanos, dentre eles, Argentina e México. A empresa fechou, em 2019, a fábrica em São Bernardo do Campo (SP) .

Até o fechamento desta reportagem, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não havia se pronunciado sobre o assunto e nem comentou a acusação de Rodrigo Maia.

Em nota, o Ministério da Economia lamentou a decisão estratégica da Ford e afirmou que a medida “destoa da forte recuperação observada na maioria dos setores da indústria no país”.

“O ministério trabalha intensamente na redução do Custo Brasil com iniciativas que já promoveram avanços importantes”, diz a nota.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Biden anuncia retorno dos EUA ao Acordo de Paris

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou, nesta quarta-feira (20), o retorno dos Estados Unidos ao Acordo de Paris. Biden prometeu colocar os Estados Unidos no caminho do saldo zero em emissões de gases de efeito estufa até 2050. Biden e a vice-presidente Kamala Harris tomaram posse na tarde de hoje.

Biden também revogou uma licença que era essencial para o projeto de oleoduto Keustone XL e uma moratória a atividades de exploração de óleo e gás no Refúgio Nacional da Vida Selvagem no Ártico.

O presidente também assinou pelo menos seis decretos relacionados à imigração. Entre os decretos, está a suspensão imediata da proibição da entrada nos Estados Unidos de pessoas oriundas de diversos países, principalmente muçulmanos ou africanos, interromper a construção de um muro na fronteira com o México e reverter uma ordem do ex-presidente Donald Trump que impedia que imigrantes ilegais fossem contados na próxima redefinição dos distritos eleitorais para o Congresso dos EUA.

Biden ainda assinou um memorando direcionando o Departamento de Segurança Nacional e o procurador-geral dos EUA a preservar o programa Daca, que protege de deportação imigrantes que chegaram ao país como crianças, e para reverter a ordem executiva de Trump que pede fiscalização interna mais rígida à imigração.

Leia Também:  Ministro substitui prisão por outras medidas cautelares com base na Recomendação 62 do CNJ

O presidente também enviou ao Congresso um projeto de lei de imigração que abre caminho para a cidadania de imigrantes que vivem ilegalmente no país.

* Com informações da Agência Reuters

Edição: Fábio Massalli

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA