Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

POLÍTICA "RAIZ"

Emanuel descarta Governo e defende volta dos políticos tradicionais em MT

Folhamax

Em discurso na inauguração da Vila Cuiabana, na Orla do Porto, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), destacou que um dos desafios para o próximo ano será a valorização da classe política, especialmente os “políticos tradicionais”, no processo eleitoral de outubro.  Ele ainda sinalizou que não deve disputar o Governo do Estado.

“Sou político nato, por vocação, amo o que faço. Quero ajudar minha cidade, meu Estado a resgatar os grandes valores e os grandes momentos que Cuiabá e Mato Grosso viveram na vida pública com os grandes políticos desse Estado”, pontuou. “Temos que valorizar nosso patrimônio, os grandes vultos da nossa história”, completou.

Emanuel fez defesa dos “políticos que cheiram povo” em discurso ao lado do ex-governador Júlio Campos (DEM), o incentivando a concorrer ao cargo de deputado estadual no próximo ano. Campos, além de governador, já foi senador, deputado federal, prefeito de Várzea Grande e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.

“Não se mata o político verdadeiro, porque somos do povo. Júlio Campos vai fazer 90, 100 anos sendo candidato, com saúde e com vida. Porque é político de base, de raiz, de nascença”, disse Emanuel Pinheiro após fazer uma breve explanação sobre a carreira de Campos. “Não podemos deixar uma bandeira como essa parar no auge da juventude dos seus 75 anos de idade. Está preparado para engrandecer o parlamento estadual se assim desejar ser candidato”, colocou.

Leia Também:  Bancos aumentam taxas acima da inflação durante pandemia, diz Idec

O prefeito destacou que também é “político raiz” e criticou o movimento “anti-políticos” das novas lideranças do Estado. Sem citar nomes, fez referências ao ex-governadores Blairo Maggi (PP) e Pedro Taques (Solidariedade), ao atual, Mauro Mendes (DEM), e a ex-senadora Selma Arruda (Podemos).

“Não sou empresário, não vim do Ministério Público Federal, do Estadual, não vim da Justiça. Vim do berço da política de um dos berços mais decentes da vida pública deste Estado, que é meu pai, o ex-deputado Emanuel Pinheiro”, frisou.

Pinheiro citou que os protagonistas da política devem ser os políticos e não pessoas que “usam os políticos” para galgarem espaços de destaque. “Temos que resgatar a força e garra dos grandes políticos. E não é para amanhã não, é pra já. Para 2022”, assinalou.

SEM ARTICULAÇÃO

Emanuel também sinalizou que não deve deixar a prefeitura da Capital para concorrer ao Governo do Estado. “Estou em lua de mel com Cuiabá, com o meu povo”, frisou.

Segundo ele, apesar de ser procurado por políticos do interior para debater a próxima eleição, não há movimentação sua para encabeçar uma disputa. “Não tenho me articulado para isso. Mas tenho discutido, porque não concordo com o modelo de gestão que temos no Governo do Estado”.

Leia Também:  TV terá inundação de 19.040 comerciais de políticos no 1º semestre de 2020

VILA CUIABANA

Em relação a obra, o prefeito explicou que ela faz um resgate histórico da Capital. Além disso, destacou que se trata de uma “vitrine” para a cidade. “Fizemos obra definitiva, para 30, 40 anos. É a coisa mais linda, chama turista, a cuiabanada para curtir um dos pontos mais lindos da Capital de Mato Grosso”, observou.

Além disso, afirmou que o embelezamento da Orla valoriza o Rio Cuiabá. “Valoriza o maior patrimônio natural, maior riqueza cultural, social e econômico, que é o rio Cuiabá. Muitos dizem que Cuiabá cresceu de costas para o rio. Nós estamos fazendo um trabalho profundo para que Cuiabá cresça de frente para o rio, apesar de todas as limitações e entraves ambientais”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Sérgio Moro vem a MT no final do 1º semestre e nega mudança para União Brasil

Hipernotícias

O pré-candidato à presidência da República e ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro (Podemos), anunciou que virá a Mato Grosso até o final do primeiro semestre deste ano. Moro virá a MT para participar de agendas e dialogar com diversos setores.

Moro negou que exista algo de concreto na possível mudança para o União Brasil, partido formado com a fusão de DEM e PSL. Ele confirma que abriu conversas com outros partidos, mas defende sua permanência na legenda que se filou há dois meses. .

“Não tem nada de concreto nisso. Estou no Podemos. Tem um quadro excelente político no Podemos, com parlamentares muito bons. Álvaro Dias lá no Senado, que muito nos orgulha, e outros parlamentares. No Podemos estou muito bem acompanhado”, declarou à Rádio Difusora da cidade de Nortelândia (93.5 FM), na manhã desta quarta-feira (19).

A negociação entre Podemos e União Brasil foi noticiada pelo Jornal O GLobo no final da tarde de terça (18). À Rádio mato-grossense, Sérgio Moro explicou que, na verdade, está empenhado em ampliar o arco de aliança para fortalecer seu projeto político.

Leia Também:  Amazon contrata empresa para investigar possíveis casos de assédio e preconceito

“Existem conversas com vários partidos, porque a gente precisa cumprir uma aliança em cima de um projeto. Não existe um projeto para si mesmo. Quem tem um projeto de único partido é o PT e não o Podemos. Então, a gente está construindo com dialogo essas alianças”, reforçou.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA