Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

Política

Botelho oficializa afastamento e Janaina Riva assume presidência da ALMT

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa (ALMT), Eduardo Botelho (DEM), oficializou seu afastamento da Casa na manhã desta quarta-feira (17). O parlamentar se licenciou do cargo por 120 dias, sem remuneração, para tratar de assuntos particulares. Com isso, a deputada estadual Janaina Riva (MDB) assume a presidência da ALMT. Ela será a primeira […]

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa (ALMT), Eduardo Botelho (DEM), oficializou seu afastamento da Casa na manhã desta quarta-feira (17). O parlamentar se licenciou do cargo por 120 dias, sem remuneração, para tratar de assuntos particulares. Com isso, a deputada estadual Janaina Riva (MDB) assume a presidência da ALMT. Ela será a primeira parlamentar mulher a comandar o Legislativo estadual.

Na vaga de Botelho no parlamento, assumirá a cadeira o vereador por Cuiabá, Toninho de Souza (PSD). A transmissão do cargo para Janaína foi feita de forma simbólica, durante a sessão da manhã desta quarta, na Casa. Um detalhe, no entanto, chamou atenção: O presidente da ALMT vestia uma camisa rosa.

Em seu discurso, Botelho homenageou diversas deputadas que passaram pela ALMT em todas as legislaturas e destacou que esta quarta-feira entrará para a história da Casa. Ele finalizou seu discurso brincando com a parlamentar, destacando a importância das mulheres e afirmando que, em breve, serão 23 deputadas no Legislativo estadual, além dele.

“Quero dizer que este é um momento de extrema alegria para mim e todos da Casa. Estamos escrevendo uma história importantíssima nesse parlamento. Pela primeira vez, em 19 legislaturas, uma mulher assumirá o comando desta Casa, de forma oficial. Ela é, não somente a representante das mulheres neste parlamento, mas também filha deste Estado”, afirmou Botelho.

Leia Também:  Bolsonaro estuda reduzir imposto para celulares e computadores

Janaina, já de posse da cadeira de presidente da ALMT, se emocionou ao assumir o cargo, destacando a simbologia histórica da posse e a importância da família em sua trajetória como parlamentar. Ela agradeceu os colegas de parlamento e brincou com Eduardo Botelho, afirmando que cuidará da Casa e a deixará em ordem.

“Pode ficar tranquilo, Botelho, que a Casa ficará em ordem. É a primeira vez que, em 134 anos, uma mulher assume a presidência da ALMT. Assumo este desafio de cabeça erguida e, humildemente, assim como quando vim para cá, quatro anos atrás, o povo quer respostas cada vez mais rápidas. Muito obrigada a todos pela confiança”, disse a deputada, citando sua família ao final, de forma emocionada.

A sessão desta quarta-feira foi rápida, com a realização inclusive de uma reunião extraordinária, antecipando assim a prevista para a tarde de hoje. Uma série de projetos foram votados na Casa, entre eles o que prevê a Revisão Geral Anual (RGA) aos servidores do Ministério Público Estadual (MPE), que foi aprovado em primeira votação.

Leia Também:  Maluf assume o TCE e anuncia reforma administrativa e ajuste

 

Crédito: Hiper Notícias

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Política

“Não existe nenhuma vontade minha de demiti-lo”, diz Bolsonaro sobre Paulo Guedes

O presidente Jair Bolsonaro concedeu entrevista à revista Veja nesta quinta-feira (23) e mostrou que confia na linha do ministro da Economia, Paulo Guedes. O chefe do Executivo federal reconhece que a Economia patina, mas não culpa o ministro pela inflação e pela alta do dólar, por exemplo.

“Não existe nenhuma vontade minha de demiti-lo. Vamos supor que eu mande embora o Paulo Guedes hoje. Vou colocar quem lá? Teria de colocar alguém da linha contrária à dele, porque senão seria trocar seis por meia dúzia. Ele iria começar a gastar, e a inflação já está na casa dos 9%, o dólar em 5,30 reais”, disse Bolsonaro.

O braço direito do presidente se mantém indemissível no cargo. No momento, sua maior preocupação é resolver o “meteoro” dos precatórios, que somam R$ 89,1 bilhões, para abrir espaço fiscal e ampliar o Orçamento do Auxílio Brasil.

O benefício deve pagar R$ 300, como foi confirmado por Bolsonaro na entrevista, mas ele mantém firme o compromisso com a responsabilidade fiscal.

“Na economia você tem que ter responsabilidade, o que se pode gastar, respeitando o teto de gastos. Se não fosse a pandemia, estaríamos voando na economia. A inflação atingiu todo mundo, mas a melhor maneira de buscarmos a normalidade e baixar a inflação é o livre mercado”, finalizou o presidente.

Leia Também:  Bolsonaro estuda reduzir imposto para celulares e computadores
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA