Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

MT EM 5º LUGAR

Pesquisa aponta que 54% dos homicídios em MT foram esclarecidos; Veja ranking

Rejane Marta – VG Notícias

A quarta edição da pesquisa “Onde Mora a Impunidade”, feita pelo Instituto Sou da Paz, aponta que 54% dos homicídios denunciados em Mato Grosso foram esclarecidos.

A pesquisa considerou os homicídios que aconteceram em 2018 e esclarecidos até 2019. Para chegar a conclusão, o Instituto contou com dados fornecidos pelo Estado, por meio da Lei de Acesso à Informação. Contudo, conforme Instituto, 10 Estados brasileiros não foram capazes de informar quantos homicídios esclareceram, não enviaram os dados solicitados e/ou enviaram incompletos. Sendo que Alagoas, Amazonas, Ceara, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins não enviaram os dados e Amapá, Goiânia, Pará e Maranhão foram os que enviaram dados incompletos, o que inviabilizou o cálculo do percentual de homicídios nesses Estados.

Mato Grosso consta entre os cinco Estados brasileiros com maior porcentagem de esclarecimentos de homicídios. A liderança ficou com Mato Grosso do Sul com 89%, seguido de Santa Catarina – 83%, Distrito Federal – 81%, Rondônia – 74% e Mato Grosso -54%. Já Rio Grande do Sul consta com 52%, seguido de Espírito Santo – 49%, São Paulo 46%, Minas Gerais – 46%, e Acre 38%.

Leia Também:  Nininho destaca os investimentos em educação com a assinatura de novos convênios

Segundo a pesquisa, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina se destacaram, pois, apresentaram percentual (89% e 83% respectivamente), acima dos percentuais europeus anteriormente apresentados.

Já os Estados com piores índices são: Paraná com 12% dos homicídios esclarecidos, Rio de Janeiro com 14%, Bahia – 22 % e Piauí – 29 %.

“É importante frisar que ao longo de quatro edições, somente duas unidades da federação apresentaram aumentos contínuos no esclarecimento de homicídios: Espírito Santo e Rondônia. As demais oscilaram entre aumento e redução ao longo do período observado. São Paulo e Paraíba, por exemplo, apresentaram em 2018 a primeira redução em relação ao ano anterior, ainda que percentualmente pequenas, enquanto Acre, Mato Grosso do Sul e Pernambuco conseguiram reverter contínuas reduções no esclarecimento de homicídios” diz trecho da pesquisa.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

PF prende primo do senador Davi Alcolumbre em operação contra tráfico internacional de drogas no Amapá

A Polícia Federal cumpriu 19 mandados de prisão no âmbito da Operação Vikare, deflagrada nesta quarta-feira (20), que investiga grupo criminoso que atua com o tráfico internacional de drogas. Entre os presos, está o ex-deputado estadual pelo Amapá, Isaac Alcolumbre, primo do senador e ex-presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Davi não é investigado na operação.

O aeródromo construído com acesso pela Rodovia AP-070 é normalmente usado por pequenas aeronaves para transporte de cargas, passeios e atividades de paraquedismo.

Segundo a PF, aeródromo servia de “base” para abastecimento e manutenção de aviões do tráfico, vindos da Colômbia e Venezuela. (Foto: Polícia Federal)

Isaac é o proprietário de um aeródromo – um pequeno aeroporto – a 12 quilômetros da área urbana de Macapá onde, segundo a PF, funcionava uma espécie de “base” para abastecimento de combustível e manutenção de pequenas aeronaves vindas da Colômbia e Venezuela que distribuíam drogas para outras regiões do Brasil a partir do Amapá.

A PF cumpriu mandados no local e apreendeu aeronaves e diversos carros de luxo que estavam guardados no aeródromo. A corporação não detalhou se os veículos eram de Isaac.

Em nota à imprensa, o ex-deputado negou as acusações de tráfico de drogas completando que “não está envolvido em nada”. Detalhou ainda que comunicou “por vezes” à polícia sobre suspeitas, porém não detalhou os crimes.

Leia Também:  Ideia legislativa acaba com cobrança previdenciária dos aposentados

“Com relação a outras acusações das quais ainda não tenho informações, faremos a defesa no momento oportuno. Tenho um hangar (aeródromo), onde recebo várias aeronaves diariamente, por vezes já comuniquei a polícia sobre suspeitas, inclusive proibido pouso e decolagem”, diz a nota.

Mesmo sem ser alvo da operação, a assessoria de comunicação do primo de Isaac, o senador Davi Alcolumbre, comentou em nota a ação. Disse que soube da operação pela imprensa e confirmou que o parente é investigado.

“O senador espera que a Polícia Federal cumpra de forma institucional com o seu dever”, diz a nota.

Quem é Isaac Alcolumbre?

Isaac Alcolumbre foi deputado por dois mandatos consecutivos no Amapá. (Foto: Facebook)

Deputado estadual pelo Amapá por dois mandatos (2007-2010 e 2011-2014) e primo do senador Davi Alcolumbre, o empresário Isaac Alcolumbre Menahen Neto, de 53 anos, assim como diversos membros da família Alcolumbre, atuou e atua com empresas de diversos segmentos no Amapá.

Isaac virou peça importante entre os alvos da operação, que cumpriu ao todo 24 mandados de prisão – dos quais 16 foram cumpridos – e 49 de busca e apreensão.

Leia Também:  Investigação sobre assalto na modalidade 'novo cangaço' no norte de MT é destaque a nível nacional

Em 2014, quando se candidatou pela última vez, ficando como suplente, declarou à Justiça eleitoral ter quase R$ 2,3 milhões em bens, entre propriedades, veículos, participações em empresas – inclusive declarou o aeródromo, avaliado na época em R$ 150 mil.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA