Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

'PRESENTÃO' DE NATAL

Prefeito de MT cria projeto de VI aumentando o próprio salário e de secretários em 50%; vice-prefeito é contra

Da Redação com A Bronca Popular

O prefeito de Campo Novo do Parecis, Rafael Machado (PSL), enviou para a Câmara de Vereadores o projeto Nº 100/2021, que cria  verba de natureza indenizatória no âmbito do Poder Executivo Municipal.

Se aprovada a mensagem do Executivo, o prefeito, vice e secretários municipais terão um substancioso aumento de 50% no holerite.

Na justificativa do projeto, Machado argumentou que “a criação da verba indenizatória objetiva promover o custeio das diversas atividades inerentes aos cargos mencionados no respectivo projeto”.

Em outro trecho do documento, o prefeito escreveu que “o objetivo da VI é repor, compensar, reembolsar despesas oriundas de atividades inerentes a serviços da administração pública”.

O salário atual do prefeito de Campo Novo é de R$ 28.544,54, com a incorporação da verba indenizatória (R$ 14.272,27), salta para R$ 42.816,81.

O salário atual do vice-prefeito é de R$ 14.272,27, com a verba indenizatória, pula para R$ 21.408,00.

O salário de secretário municipal é de R$ 12.027,18, com a verba indenizatória, sobe para R$ 18 mil.

Leia Também:  Barragem de garimpo rompe, deixa feridos e causa estragos

Na mensagem, o prefeito pediu que o projeto fosse apreciado em regime de Urgência Especial, o que foi rejeitado pela Câmara de Vereadores.

A tramitação do projeto segue o rito ordinário e deve pautar os debates e esquentar as discussões sobre a viabilidade ou não de se criar verba indenizatória nesse momento de crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

Vice se diz contra o projeto

brolio.JPG

O vice-prefeito Toninho Brolio (Foto à esq.) afirmou a nossa reportagem que foi pego de surpresa com o envio para a Câmara do projeto que cria verba indenizatória no âmbito do executivo municipal.

“Apenas ontem tomei conhecimento, mas sou contra. Não vejo necessidade para sacrificar ainda mais a população com a criação desse benefício para o prefeito, vice e secretários”, declarou o vice-prefeito.

Brolio prometeu que jamais fará uso de verba indenizatória, mesma que seja aprovada pelo legislativo.

“O salário que já recebo é muito bom, não há necessidade desse aumento de 50%, não tem sentido e por isso sou contra”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Municipios

Poder Executivo de Barra do Garças apresenta balanço da gestão municipal

Ari Miranda Da Redação RDM

O prefeito de Barra do Garças, Adilson Gonçalves de Macedo (PSD), apresentou nesta quinta (2/12) a prestação pública de contas e o levantamento financeiro do município. A reunião contou com a participação de secretários, vereadores, cidadãos e o vice-prefeito, professor Sivirino dos Santos.

Dr. Adilson destacou que, ao assumir a gestão, em janeiro deste ano, Barra do Garças contava com uma dívida de mais de R$ 93 milhões, acumulada entre os anos de 2003 e 2020. O montante é decorrente de financiamentos, INSS, dívidas diversas com fornecedores, prestadores de serviço, multas ambientais e rescisões de contratos, além de maquinários sucateados e prédios públicos recém-reformados, porém em péssimo estado de conservação, ressaltando que, devido à alta quantia de dívidas, o município teve de entrar com uma liminar na Justiça para não perder convênios.

“Enfrentamos muitas dificuldades no início em razão da situação financeira que estava a prefeitura. Tivemos sérios problemas para conseguir certidões e também com dívidas que foram aparecendo ao longo do período. Passados 12 meses da gestão, estamos com grande parte das dividas pagas. Ainda não colocamos a casa totalmente em ordem, mas estamos com a prefeitura ‘nos trilhos’, e agora é possível planejar o futuro da nossa cidade”, explicou Dr. Adilson, destacando que desde janeiro, a Prefeitura já pagou R$ 7.934.530,42 do parcelamento das dívidas.

Leia Também:  Peixoto de Azevedo terá mais 10 leitos de UTI exclusivos aos pacientes do coronavírus

Questionado sobre as dívidas e os problemas ‘herdados’ de outras gestões, Dr. Adilson não criticou ou culpou os gestores anteriores , enfatizando que este não foi e nem é seu propósito enquanto gestor.

“Não gosto de fazer comentários pejorativos sobre nenhum dos prefeitos que por aqui passaram, nem mesmo comparações esdrúxulas entre. Não adianta nada ficarmos reclamando das gestões passadas, precisamos arregaçar as mangas e resolver o problema. E esta é a nossa missão: trazer a solução e dar uma resposta à altura para a sociedade barra-garcense”, asseverou.

O vice prefeito, professor Sivirino dos Santos (PSD) , afirmou a importância da prestação de contas , enfatizando que o momento não é de desunião, mas de união de toda a população de Barra do Garças.

“A decisão do prefeito de fazer essa prestação anual de contas foi muito acertada, pois a gente ouve algumas afirmações que nos entristecem. Por isso, é de fato importante que a população saiba o que está acontecendo na administração, mostrar a realidade e evitar boatos. Barra do Garças precisa se reencontrar e voltar a pontuar nos rankings positivos do nosso estado, e assim voltar a ser uma das potências de Mato Grosso”, concluiu.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA