Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

INTERIOR

Casal é pego em ato obsceno dentro de igreja em MT

Policiais militares da 3ª Companhia em São José dos Quatro Marcos (a 315 km de Cuiabá) prenderam na madruga de terça-feira (13.10), um homem e uma mulher por ato obsceno.

A informação chegou via 190 que um casal estaria tendo relações sexuais na igreja matriz da cidade. Um morador teria sido ameaçado de morte por ter advertido a dupla. O coito pode ser visto por várias pessoas que passavam pelo local.

A equipe foi até a igreja e presenciou o casal praticando o ato libidinoso. Os dois receberam voz de prisão.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Fonte: PM MT

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Congresso aprova prazo que viabiliza leilão do pré-sal
Propaganda

Municipios

IBGE realiza coleta da pesquisa de informações sobre os municípios com o apoio da AMM

Com o objetivo de produzir um quadro geral sobre as administrações municipais, com a construção de um amplo perfil da gestão pública municipal, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE, realiza anualmente a pesquisa de informações básicas municipais-MUNIC. Até o ano de 2019, a coleta das informações era feita de forma presencial em questionário de papel. Neste ano, porém, pela primeira vez, a pesquisa será coletada via web, pela internet, devido à pandemia do coronavírus.

O agente de coleta do IBGE entra em contato por telefone com cada prefeitura para identificar e cadastrar a pessoa responsável por responder à pesquisa. Apenas esta pessoa deverá reunir os dados com as secretarias e digitar no sistema do IBGE com seu login e senha.  O prazo já começou.

Em cidades com dificuldade de acesso à internet na prefeitura, a coleta poderá ser feita por meio de um questionário editável em pdf que será repassado preenchido ao funcionário do IBGE. Os temas abordados pelo questionário básico serão recursos humanos, habitação, transporte, agropecuária, meio ambiente, gestão de riscos e de desastres, e Covid-19. “O bloco de perguntas será o mesmo aplicado em 2017, com o quesito sobre as ações dos municípios mato-grossenses frente a pandemia”, conta Millane Chaves, chefe da Unidade Estadual do IBGE em Mato Grosso.

Leia Também:  Acordo sobre bônus do pré-sal renderá mais de R$ 10 bilhões a estados e DF

O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios-AMM, Neurilan Fraga destaca a importância da pesquisa pelo IBGE, a instituição que tem muita credibilidade junto a população brasileira. Ele frisa que os dados repassados vão contribuir para o direcionamento de políticas que visam o desenvolvimento de todos os municípios. “O levantamento de informações por meio da pesquisa e também dos censos refletem diretamente  em ações para o planejamento e aprimoramento das gestões  municipais”, observou.

Criada para suprir demandas por informações desagregadas em nível municipal sobre a administração pública local, a pesquisa reúne informações para o planejamento. O objeto de interesse é a gestão dos municípios, no que diz respeito à organização, quadro funcional, recursos institucionais, políticas de planejamento, programas e ações públicas dos governos municipais.

A informação atualizada tem sido ferramenta essencial para a formulação e implementação de políticas públicas, com impacto nas ações dos gestores municipais, estaduais e federais. Por isso, é muito importante que todos as prefeituras respondam à pesquisa. A Unidade Estadual do IBGE em Mato Grosso espera receber os questionários dos 141 municípios. Para obter mais informações sobre a pesquisa, enviar as dúvidas para o email da  Supervisão de Disseminação de Informações-SDI ([email protected].)

Leia Também:  Onça resgatada durante incêndios no Pantanal tem melhora
Fonte: AMM

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA