Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

SENSIBILIZANDO

TCE-MT promove campanha “Outubro Rosa”

O Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) deu início a campanha interna do “Outubro Rosa” nesta quarta-feira (14), durante a sessão do Pleno por videoconferência.

Na oportunidade, o Presidente do TCE-MT, Guilherme Maluf, falou sobre a campanha interna da Corte de Contas e a importância de sensibilizar e alertar as mulheres servidoras sobre a prevenção do câncer de mama. Também está acontecendo a entrega de laços rosa, simbolo da campanha, nos setores com atividade presencial.

O TCE-MT também vai fazer triagem e encaminhamento de 30 servidoras, para fazer o exame de mamografia. As servidoras com mais de 40 anos podem fazer sua inscrição no auditório Liu Arruda, com as servidoras Jacyanne ou Conceição, até o dia 31 de outubro. Não poderão participar, as servidoras que têm plano de saúde. Caso haja a inscrição de mais de 30 servidoras, haverão critérios para definir quem irá fazer o exame de mamografia.

Desde o início do mês, a fachada do TCE-MT está iluminada na cor rosa em prol da campanha. O objetivo da campanha interna é estimular a prevenção através de diagnóstico precoce que busca diminuição do câncer de mama, desmistificando a doença e falando mais sobre ela.

Leia Também:  Governo e Poderes se unem para combater o avanço do coronavírus

A campanha é uma ação da Secretaria Executiva de Gestão de Pessoas/Núcleo de Qualidade de Vida no Trabalho. Também haverá a divulgação da campanha nos canais oficiais do TCE-MT.

Secretaria de Comunicação/TCE-MT
E-mail: [email protected]

Fonte: TCE MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Legislativo

Parlamentar cobra regulamentação da lei que determina realização de exames pelo SUS em 30 dias

Em reunião da Secretaria da Mulher da Câmara nesta sexta-feira (16), a deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC) cobrou a regulamentação da lei 13.896/19, que determina que os exames no caso de suspeita de câncer devem ser realizados em no máximo 30 dias. Ela é autora da proposta que deu origem à lei.

“Ainda há a necessidade de regulamentarmos e a necessidade de realmente conseguirmos assegurar que isso aconteça na prática em cada um dos nossos municípios, porque o diagnóstico precoce significa o tratamento precoce”, disse a deputada.

Também participaram da reunião representantes do poder público, dos médicos e dos pacientes.

A defensora pública federal Daniela Jacques destacou que existe, dentro da defensoria pública, um grupo de trabalho voltado para as questões femininas, porque, segundo ela, as políticas de gênero normalmente não são bem aceitas por parte da sociedade, apesar de necessárias.

“A Defensoria Pública da União vai estar sempre atenta para fazer uma fiscalização no seu cumprimento de forma geral, ou seja, a gente atua tanto na questão individual, na defesa e na busca do direito individual a ser implementado, quanto também relativamente à tutela coletiva”, afirmou.

Leia Também:  Trabalhadores têm medo de contato com pessoas que não seguem regras de segurança

A presidente da Femama, entidade que reúne 70 ONGs que trabalham na prevenção e atendimento a pacientes com câncer de mama, Maria Caleffi, lamentou que o número de mamografias tenha sido 50% menor já em 2019, e agora com a pandemia de coronavírus esses números estão ainda mais baixos.

Para tentar reverter esse quadro, a representante da Sociedade Brasileira de Oncologia, Daniela Assad, disse que foram disponibilizados no site da entidade materiais de orientação sobre a segurança do tratamento, inclusive da quimioterapia, durante a pandemia de Covid-19.

Segundo Daniela Assad, a página recebeu 450 mil acessos, o que mostra a necessidade de informação sobre o câncer durante a pandemia. Para a médica, agora é a hora de iniciar a retomada dos tratamentos nas localidades onde houve a diminuição dos casos de Covid.

Fonte: AMM

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA