Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

PONTES E LACERDA

Deputado Moretto homenageia militares que salvaram pacientes de hospital em chamas

ALMT – Assessoria, com Redação RDM

O deputado estadual Valmir Moretto (REP) entregou na manhã de segunda-feira (11.10) sete Moções de Aplauso para Bombeiros e Policias Militares da cidade de Pontes e Lacerda, a 430 Km de Cuiabá. A honraria é reconhecimento ao trabalho realizado pelos servidores em 13 de setembro deste ano, quando arriscaram suas vidas para socorrer vítimas de um hospital em chamas no município.

Os servidores precisaram arrombar portas e quebrar janelas para entrar na unidade de saúde, onde seis pacientes, dentre eles um recém-nascido e uma idosa, foram resgatados. Algumas das vítimas estavam entubadas na ala de tratamento da covid-19.

Foto: 2º Sgt  Mansano / 8ª CIBM de Pontes e Lacerda – MT.

“Eu vi as imagens no dia do fato. Os servidores treinados bravamente salvaram as vítimas, arriscaram suas vidas pensando na vida do próximo. Essa moção é um reconhecimento do trabalho desses profissionais, e isso é muito importante. Todos estão de parabéns”, argumentou Moretto.

Leia Também:  Oito capitais criaram auxílio emergencial, mas só duas seguem pagando

O 1° Tenente BM Rivaldo, comandante da 8ª Companhia Independente Bombeiro Militar (8ª CIBM), explicou a dificuldade do resgate na data do fato.

“Esse trabalho a gente faz diuturnamente, em toda área de atuação da 8ª Companhia de Bombeiros, porém essa ocorrência foi muito sensível e exigiu um trabalho técnico diferenciado. Além disso, o tempo de resposta foi muito rápido. Pegamos o incêndio ainda no início, retiramos os pacientes e combatemos o fogo no prédio. Em nome da 8ª Companhia de Bombeiros agradeço ao deputado Valmir Moretto por essa justa homenagem aos bombeiros e também aos integrantes da Polícia Militar”, concluiu.

Os homenageados foram:

  • 2° SGT BM Cleber Mansano
  • SD BM Camila
  • SD BM Yure
  • SD BM Evandro
  • SD BM Jhonatan Damião;
  • 2º SGT PM Robson Ramires
  • SD PM Bruno
COMENTE ABAIXO:
  • Foto: 8ª CIBM de Pontes e Lacerda.

Propaganda

Legislativo

AL aprova em primeira votação proibição de passaporte da vacina em MT

Estadão Mato Grosso – Da Redação

Em meio a um debate acalorado, a Assembleia Legislativa aprovou nesta quarta-feira (20), com 13 votos favoráveis, o projeto de lei da deputada Janaína Riva (MDB) que proíbe a implantação do ‘passaporte da vacina’ em Mato Grosso. O projeto chegou a ser rejeitado pela Comissão de Saúde da Casa de Leis, mas os deputados optaram por derrubar o parecer. A matéria ainda precisa ser aprovada uma segunda vez antes de ser encaminhada para sanção.

O passaporte já é exigido nos Estados Unidos, em alguns países da Europa, e já foi adotado por várias cidades no Brasil, incluindo Rondonópolis (MT). No entanto, ele gera polêmicas por onde passa.

Na visão de Janaina, o passaporte priva o cidadão de ir e vir, ferindo assim o artigo 5º da Constituição Federal. A deputada citou inclusive que o Conselho Federal de Medicina (CFM) tem um posicionamento contrário ao passaporte da vacina, pois entende que dá uma falsa sensação de segurança, já que nenhuma vacina é 100% eficaz contra o coronavírus, ainda.

“Não somos radicais. Eu sou vacinada, sou a favor da vacina, mas também sou a favor da liberdade, do direito de a pessoa ir e vir. Vai acontecer uma segregação por trás da exigência do passaporte sanitário. […] O STF [Supremo Tribunal Federal] tem que seguir as legislações e quem faz a lei é deputado e senador, não ministros”, disse a deputada.

Foto: JL Siqueira (ALMT).

A sessão foi acompanhada por dezenas de pessoas que vaiaram o deputado Lúdio Cabral (PT) por se posicionar a favor da implantação do passaporte em todo o estado. Além de deputado, Lúdio é médico sanitarista. Ele argumentou que o Estado de Mato Grosso estabelece, em seu código de Saúde, que as regras para controle sanitário devem partir da autoridade sanitária, no caso, o governador e o secretário estadual de Saúde.

Leia Também:  Agronegócio bate recorde de US$ 14 bilhões em exportações em maio

“Não cabe à Assembleia aprovar qualquer projeto de lei para o estado adotar medidas quando necessário. Estamos longe de alcançar um número ideal de vacinação no nosso território. Estamos lidando com um vírus traiçoeiro, que é um vírus de RNA suscetível a mutações, e não queremos ter que enfrentar uma terceira onda que, infelizmente, pode acontecer enquanto não tivermos cobertura vacinal adequada. As maiores economias capitalistas do mundo estão colocando o passaporte sanitário”, esclareceu o deputado.

Os deputados Faissal Calil (PV), Gilberto Cattani (PSL), Ulysses Moraes (PSL) e Xuxu Dal Molin (PSC) também usaram a tribuna do parlamento estadual para se posicionar contra a obrigatoriedade do passaporte. Faissal lembrou que as pessoas que acompanhavam a sessão não foram perguntadas se haviam sido vacinadas.

“Sou contra o passaporte sanitário, o controle social. Todos que estiveram aqui não foram perguntados se tomaram vacinas. Não é só questão de liberdade, mas também a questão de privacidade”, disse.

Já Valdir Barranco (PT), que ficou 81 dias internado com covid-19, defendeu que o Parlamento crie mecanismo para obrigar as pessoas a se vacinarem. Segundo ele, cabe ao STF interpretar se o passaporte vacinal fere o direito de ir e vir. Acontece que, recentemente, o presidente do STF, Luiz Fux, concluiu que as prefeituras têm o poder de estabelecer medidas para combater a disseminação do vírus, incluindo o passaporte da vacina.

Leia Também:  CST debate PEE para pessoas com deficiência

Diante da polêmica sobre o assunto, o presidente da Assembleia Legislativa, Max Russi (PSB), afirmou que ainda não há data prevista para a segunda votação do projeto.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA