Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

ATENDIMENTO

Usuários externos podem sanar dúvidas do PJe pelos canais de atendimento

O Poder Judiciário de Mato Grosso mantém o Portal de Atendimento SDM (https://sdm.tjmt.jus.br/) e o telefone 3617-3900 como canais diretos com os usuários do Sistema Processo Judicial Eletrônico (PJe).

 Tanto usuários internos (magistrados e servidores), quanto externos (advogados e operadores do Direito), que necessitarem de suporte em relação ao sistema eletrônico usam o suporte ofertado pela equipe de técnicos da central de atendimento Coordenadoria da Tecnologia da Informação (CTI) do Tribunal.
 
“Atualmente, o PJe é o principal serviço utilizado pelos usuários dos sistemas do TJMT. O suporte ao usuário está disponível aos advogados e operadores do Direito das 6hs à meia-noite, 7 dias por semana”, destaca o diretor do Departamento de Suporte da TI do Tribunal, Marcos Gomes.
 
De acordo com o diretor, mesmo com a suspensão de prazos processuais e durante todo o recesso forense, o PJe nunca paralisou as atividades, exceto em momentos de manutenção ou atualizações realizadas pela TI com objetivo de atender a contento aos usuários da plataforma. Porém, sempre que há este tipo de ação, o TJMT emite um comunicado informando que o PJe está indisponível.
 
Dificuldades com o PJe use um dos canais: Telefone: 65 3617-3900 ou abertura de chamado: sdm.tjmt.jus.br
 
Alcione dos Anjos
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mato Grosso receberá 43 militares da Força Nacional para combate aos incêndios florestais
Propaganda

Judiciário

Gilmar Mendes faz seu mais duro ataque à Lava Jato e compara força-tarefa ao PCC

 O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, fez seu mais duro ataque à força-tarefa da Operação Lava Jato, ao compará-la ao Primeiro Comando da Capital, uma das maiores organizações criminosas do Brasil, conhecida como PCC.  “O conteúdo das mensagens às vezes dão asco. A ideia, por exemplo, de transferir alguém para um presídio, para que fale ou delate; de alongar a prisão. Veja essa delegada que teria falsificado depoimento. O que isso significa? Conversa de procuradores ou é conversa de gente do PCC? Tudo isso é muito chocante”, disse ele, referindo-se à revelação de que a delegada Érika Marena falsificou um depoimento e de que foi protegida por Deltan Dallagnol.

A declaração foi dada em entrevista aos jornalistas Everton Dantas e Aldemar Freire, da Tribuna do Norte. Gilmar também destacou o papel da mídia brasileira nesse processo. “A mídia de alguma forma foi aliada desse modelo, que se imaginava estar renovando o Brasil. Hoje estamos aprendendo que no fundo eram uns tiranetes, sujeitos que tinham pouca visão da democracia, pouco compromisso com o Direito e, certamente, muito interesse no seu próprio empoderamento. O conteúdo das mensagens às vezes dão asco.”

Leia Também:  STF reafirma jurisprudência sobre impossibilidade da concessão do reajuste de 13,23% a servidores públicos federais

O ministro do STF também sugeriu que os integrantes da Lava Jato batam em retirada. “Deviam pedir desculpas às pessoas e irem para casa, porque não são mais dignos de estarem nos locais onde estão. Como é que vão continuar denunciando pessoas?”, questiona. O ministro também foi questionado sobre o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Não vou entrar no caso Lula agora, porque estamos para julgar essa questão e, certamente, vamos ter que fazer análises em torno desse assunto. O conjunto geral das investigações é esse que todos estão vendo.”

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA