Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

CONTESTOU CRÍTICA

“Nós valorizamos o Esporte e a Cultura em Cuiabá; as ações estão aí para provar”, afirma Beto Dois a Um

O secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, Beto Dois a Um, contestou a fala do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, dando conta que o Governo de Mato Grosso não investiria na capital.

Segundo o secretário, a Cultura, os artistas nunca foram tão valorizados por uma gestão estadual.

“Estamos com investimentos em editais, em pontos de Cultura e fizemos um esforço gigantesco para executar todos os recursos da Lei Aldir Blanc em Cuiabá e em todo o estado. Somente em Cuiabá foram 225 projetos aprovados, com investimento de R$ 11,4 milhões”, citou.

O gestor lembrou dos investimentos no Esporte e o pagamento “religiosamente em dia” das bolsas, algo que nunca aconteceu.

“Criamos o projeto Olimpus, com bolsas para atletas amadores e profissionais em várias modalidades, como futsal, basquete, hendebol, vôlei, atletismo, natação, wrestling, modalidades de artes marciais e contemplando também os paralímpicos. Nos próximos dias, vamos lançar a segunda fase do projeto, com o bolsa técnico, bolsa técnico nacional, internacional, prêmio de participação olímpica, prêmio medalha olímpica, além das adequações na Arena Pantanal que, sozinha, está abrigando todos os jogos da Capital”, destacou.

Leia Também:  PF deflagra a 3ª fase da Operação Cai-Cai em Minas Gerais

Beto Dois a Um lembrou que a atual gestão reabriu muitos museus em Cuiabá que estavam fechados há tempos, como o Museu de Arte Sacra, Museu de História Natural Dom Aquino, a Casa Cuiabana e o Museu Residência dos Governadores.

Também foi destacado pelo secretário o investimento nos editais que contemplaram artistas de Cuiabá, como o Pontos da Cultura (R$ 270 mil para a Capital), o Edital Estevão de Mendonça de Incentivo à Literatura Mato-grossense (R$ 400 mil) e o Edital Festival Cultura em Casa (R$ 210 mil).

“O Estado reabre museus, valoriza os espaços culturais e investe nos artistas e atletas. As ações estão aí para provar. Quem é do setor sabe o trabalho que estamos fazendo.
Ainda neste ano teremos o Salão Jovem Arte em Cuiabá. Sem contar a MT Escola de Teatro, as capacitações que estamos fazendo para profissionalizar o audiovisual e o Programa de Aceleração de Negócios Criativos, que visa dar ferramentas para os artistas geraram emprego e renda com seu trabalho”, pontuou.

O secretário ainda mencionou as ações do Governo do Estado para auxiliar o setor da Cultura, Esporte e Lazer em razão das dificuldades trazidas pela pandemia, como a entrega das cestas básicas, por meio do programa liderado pela primeira-dama Virginia Mendes, e a liberação de recursos ao setor de bares, restaurantes e eventos.

Leia Também:  Detran-MT retoma aplicação de provas teóricas com mais de 5 mil exames realizados

“O Governo do Estado, com apoio da Assembleia, liberou R$ 55 milhões para crédito aos setores atingidos, especialmente os pequenos bares, restaurantes e pequenas empresas do setor de eventos. Esse valor vai dar fôlego aos setores e salvar empregos. Lembrando que o ICMS para esse segmento foi reduzido de 7% para 3% nessa gestão. Quem se beneficia de todas essas ações são os mato-grossenses e, especialmente, os cuiabanos”, finalizou.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Executivo

BPC: governo quer mudar regras do benefício e ampliar número de recebedores

O governo federal quer alterar as regras do Benefício de Prestação Continuada (BPC) . Atualmente, quem assina c arteira de trabalho perde direito ao benefício de R$ 1.100 , no entanto, governo quer pagar R$ 550 para quem conseguir emprego.

Para que isso aconteça, o emprego formal precisa pagar ao menos dois salários mínimos (R$ 2.200), como adiantou a Folha de São Paulo. A intenção do governo é estimular o emprego entre aqueles que recebem o programa.

A equipe econômica embutiu a alteração numa Medida Provisória já aprovada pelo Congresso, e segue para sanção presidencial, que deve acontecer em julho.

A previsão é de redução nos gastos do BPC. A legislação federal exige que empresas com cem ou mais funcionários ocupem de 2% a 5% de seus cargos com pessoas com deficiência. Com isso, a equipe econômica espera que cerca de 300 mil vagas para trabalhadores com deficiência sejam preenchidas.

Se a previsão se concretizar, serão economizados R$ 165 milhões.

Você viu?

Quem pode solicitar?

Aqueles que nunca pagaram mensalmente o carnê previdenciário podem conseguir o  Benefício de Prestação Continuada (BPC), popularmente conhecido como LOAS.

Leia Também:  Em três meses de 2020, arrecadação do Estado cresce 12%

O Benefício de Prestação Continuada (BPC) da Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS) é a garantia de um salário mínimo mensal à pessoa com deficiência que comprove não possuir meios de prover a própria manutenção, nem de tê-la provida por sua família.

Critérios

Tem direito ao BPC o brasileiro, nato ou naturalizado, e as pessoas de nacionalidade portuguesa, desde que comprovem residência fixa no Brasil e renda por pessoa do grupo familiar inferior a ¼ de salário mínimo atual.

Também posem solicitar o benefício as pessoas que apresentam impedimentos de longo prazo (mínimo de 2 anos) de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

Leia Também:  Estado mais do que dobra o número de leitos de UTI no Hospital Regional

Veja  aqui o passo a passo para conseguir o BPC.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA