Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

VACINA

Mauro Mendes pede ajuda do embaixador dos EUA para compra direta de vacinas

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, postou um vídeo em suas redes sociais na tarde desta sexta-feira (05). No ato, o governador pede auxílio ao embaixador dos EUA, Todd Chapman, na compra direta de vacinas para Mato Grosso.

No vídeo, Mauro ainda explicou a necessidade da vacinação, leia:

VACINAS EM PAUTA
Meus amigos, agora pela manhã eu e os governadores que compõem a Amazônia Legal nos reunimos com o embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman.

🧪 Pedi que o embaixador nos ajude a fazer a compra direta das vacinas contra a covid-19 via consórcio, para reforçar a vacinação no nosso estado e nos demais, tendo em vista que os EUA possuem grandes laboratórios e já estão na fase final da imunização
🧪 Reforcei que esses nove estados fazem um grande trabalho pela preservação e desenvolvimento sustentável, alinhado com a atual política americana
🧪 O embaixador afirmou que vai nos auxiliar a estreitar esse relacionamento e que estão completamente abertos a oferecer as vacinas
🧪 Continuarei correndo atrás de todas as alternativas para que os mato-grossenses sejam vacinados o quanto antes, para encerrarmos esse pesadelo da covid-19.

VEJA O VÍDEO:

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Governo sanciona Lei de adicional para servidores da Saúde que atuam no combate à Covid-19
Propaganda

Executivo

Lira nega que Bolsonaro precise viajar para sancionar Orçamento

O presidente da  Câmara dos Deputados , Arthur Lira  (PP-AL), disse que o Orçamento da União deste ano será tratado com responsabilidade pelos parlamentares. Segundo ele, o País vive um momento econômico grave e de crise sanitária.

Lira negou informação publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo, que afirmou que  Bolsonaro  poderia viajar para fora do País, juntamente com o vice-presidente, Hamilton Mourão , para que ele (Lira) sancionasse o Orçamento.

Na ausência do presidente e do vice, o presidente da Câmara assume a Presidência da República.

A reportagem afirma que essa solução foi pensada para que resolver o impasse da sanção da lei orçamentária. O presidente Jair Bolsonaro tem até o dia 22 de abril para sancioná-la ou não.

Você viu?

O texto causa polêmica devido a cortes feitos em despesas obrigatórias e é alvo de negociação entre Executivo e Legislativo.

Os cortes em despesas obrigatórias da Previdência, do auxílio-doença e do seguro-desemprego seriam para gastos com pleitos de parlamentares.

Estudos da Câmara e do Senado apresentam sugestões para ajustar Orçamento deste ano

Leia Também:  Governo sanciona Lei de adicional para servidores da Saúde que atuam no combate à Covid-19

“O País vive um momento grave de perdas e crise sanitária. O Orçamento é crucial e será tratado por mim e pela Câmara com responsabilidade. Desminto com veemência o conteúdo desta matéria do Estadão. O cidadão merece uma apuração sem ‘disse me disse’ e calcada na verdade”, afirmou Lira por meio de suas redes sociais.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA