Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

ORÇAMENTO 2021

Governo entrega Projeto de Lei Orçamentária Anual na Assembleia Legislativa

O vice-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado João Batista (Pros), recebeu nesta quarta-feira (30), na sala da presidência, o Projeto de Lei Orçamentária Anual – PLOA/2021 – das mãos do secretário de Estado de Fazenda (Sefaz), Rogério Gallo. A peça orçamentária do próximo exercício financeiro estima entre receita e despesa um montante de R$ 21,3 bilhões.

De acordo com João Batista, o presidente Eduardo Botelho (DEM) deve elaborar um calendário para a discussão da LOA em audiências públicas e para a apresentação de emendas. A peça orçamentaria deve ser distribuída aos parlamentares e que o calendário de tramitação da proposta será discutido na reunião do Colégio de Líderes, na próxima semana.

“Há um calendário a ser cumprido, oportunizando aos parlamentares analisarem a peça orçamentária e, com isso, fazer e apresentar suas emendas. Na LOA do próximo ano, o governo pretende destinar 12% da receita corrente-líquida em investimentos de obras de infraestrutura. Os parlamentares, a maioria é do interior, vão fazer essa análise para saber se todas as regiões de Mato Grosso estão sendo contempladas com esse investimento”, explicou João Batista.

Para o próximo ano, de acordo com Gallo, o Estado vai destinar 12% da receita para serem investimentos em diversos setores – saúde, infraestrutura, segurança pública, educação e na construção de hospitais regionais. Isso representa cerca de R$ 2,1 bilhões. Segundo ele, isso nunca aconteceu de a receita corrente líquida reservar esse percentual para investimentos.

“É um orçamento equilibrado, conseguido com as medidas adotadas pelo ajuste fiscal, pelo controle das despesas públicas e ainda dos cortes de incentivos fiscais que não faziam sentido mantê-los. O governo recuperou a capacidade de investimentos. Isso é notável. A ajuda de todos os Poderes foi fundamental para reequilibrar o orçamento”, explicou Gallo.

Por isso, de acordo com Rogério Gallo, o segundo ano do governo (2020) foi possível elaborar uma LOA em consonância com equilíbrio fiscal, o que possibilita ao governador Mauro Mendes (DEM), depois de quatro anos, colocar o salário dos servidores públicos para ser pago no mês trabalhado.

Leia Também:  Comissão externa debate nesta quarta-feira vacina em desenvolvimento pela Rússia

Em relação ao reajuste geral anual (RGA), Gallo disse que a LOA não propõe nada para 2021, mas apenas o pagamento dos resíduos salariais fixados em 2017 e que não foram pagos em 2018. O reajuste para 2021 esbarra na Lei Complementar Federal nº 173, editada pelo governo federal, impedindo os estados brasileiros de concederem reajuste salarial em função da crise econômica causada pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

“É um resíduo de 3%. Esse é possível ser pago. Mas há um entendimento e discussão do Tribunal de Contas do Estado e do Tesouro Nacional sobre o congelamento do salário editado pelo governo federal, impedindo a concessão de reajuste salarial até 31/12/2021. Mas o que está suspenso é só aguardar o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal, quando o Estado pode compromete até 49% da receita corrente liquida com o funcionalismo público”, explicou Gallo.

“O RGA 2021 não está garantido, mas há possibilidade de o governo fazer o pagamento do retroativo dos resíduos de 3% de 2017. É um avanço. Nesse período, a Assembleia Legislativa tem que trabalhar no entendimento jurídico da LCF nº 173 do governo federal, se realmente está proibido o pagamento do RGA. No caso de Mato Grosso já existe uma lei anterior, exigindo apenas a fixação do percentual que está no projeto de lei. Se isso pode ser pago na LOA de 2021 ou se garante o retroativo de 2017”, explicou o vice-presidente João Batista.

Questionado sobre as emendas impositivas que os parlamentares têm direito, o secretário de Fazenda afirmou que na LOA/2021 tem assegurado R$ 170 milhões para as emendas dos deputados. “Desse montante, 50% (R$ 85 milhões) estão distribuídos em três áreas do governo: saúde, educação e cultura e esporte e lazer, e os outros R$ 85 milhões são livres para os parlamentares aplicarem em sua base politica”, disse Gallo.

Leia Também:  Oposição ameaça obstruir para votar aumento de nova etapa do auxílio emergencial

De acordo com o secretário, o impacto da pandemia do novo Coronavírus na economia local, brasileira e internacional foi fundamental para a formatação de um orçamento mais conservador. Isso está relacionada com a principal receita do Estado, que é o Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS), foi menos que o previsto.

“Há um cenário de incertezas econômicas. As pessoas não sabem se o governo federal vai reeditar o auxilio financeiro para os mais de 10 milhões de famílias invisíveis, que não estão empregados e não estão vinculados a nenhum programa assistencial, recebendo R$ 600, e até o final do ano, vão receber parcelas de R$ 300. Isso pode fazer muita diferença em 2021”, afirmou Gallo.

Em 2020, de acordo com Rogério Gallo, o governo buscou enquadrar o Estado no crescimento econômico e na retomada do emprego. “Investir R$ 2,1 bilhões, em 2021, é gerar emprego e renda. É a retomada de obras – presídios e de hospitais. É movimentar a economia nos 141 municípios mato-grossenses”, disse Rogério Gallo.

Uma das preocupações do Governo para 2021, de acordo com Gallo, é com a manutenção ou não dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) instalados em Mato Grosso, e o segundo é com a retomada dos empregos e o crescimento da economia. “Alguns leitos devem ser mantidos. Os demais dependem de apoio financeiro do governo federal. Quanto a retomada da economia, o governo vai investir os R$ 2,1 bilhões, que vão movimentar a o setor econômico mato-grossense”, disse o secretário.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Executivo

Primeira-dama do Estado agora é cidadã barra-garcense, a homenagem representa a gratidão do município

A homenagem entregue pelo vereador de Barra do Garças, Paulo Bento, representando a Câmara de Vereadores do município, prova que os projetos sociais alcançam a população.

Pelo jeito a primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, conquista cada vez a simpatia e o reconhecimento da população, com uma agenda de compromissos cada vez mais comprometida devido aos projetos que desenvolve voluntariamente junto a Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc), dona Virginia consegue conciliar os compromissos e atender a todos. E foi com toda disposição e carisma que na última terça-feira (14/09), ela recebeu o vereador de Barra do Garças, Paulo Bento, representando toda a Câmara Municipal, que veio à capital cuiabana entregar o Título de Cidadã Barra-garcense em forma de reconhecimento diante dos programas sociais implementados pela primeira-dama de Mato Grosso.

Foto: Jana Pessoa

Ao que tudo indica as ações têm chegado à ponta, ou seja, alcançando o municípios como ocorre em Barra do Garças. “É uma primeira-dama que vem nos ajudando muito com seus programas em prol da família, da criança, dos idosos, das mulheres e do cidadão indígena. A gente queria de alguma forma, em nome da Câmara de Vereadores, homenageá-la pelos trabalhos sociais que ela vem fazendo, principalmente nesse momento de pandemia, onde ela tirou muita gente da dificuldade e matou a fome dessas pessoas. Então, isso pra gente não tem preço e nós gostaríamos de alguma forma fazer esse agradecimento”, contou o vereador.

Foto: Jana Pessoa

Agradecida pela honraria, a primeira-dama declarou seu carinho por Barra do Garças. “Eu fico honrada em receber aqui o vereador Paulo Bento que veio em nome da Câmara Municipal, entregar para mim esse tão importante título. Isso significa e confirma que estamos conseguindo desempenhar o nosso verdadeiro papel. Fico imensamente feliz em saber que temos essa admiração da população e, é maravilhoso receber essa atenção em forma de homenagem”, declarou Virginia Mendes.

Leia Também:  Oposição ameaça obstruir para votar aumento de nova etapa do auxílio emergencial

Por: Assessoria 

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA