Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

DISTRIBUIÇÃO

Governo de MT já distribuiu 99,5% das doses recebidas; veja quanto cada município aplicou

O Governo de Mato Grosso já distribuiu aos 141 municípios 99,5% de todas as doses das vacinas contra a covid-19 recebidas até o momento pelo Ministério da Saúde.

Após a distribuição, cabe a cada município organizar o agendamento e a aplicação das vacinas nos grupos prioritários, que atualmente englobam as fases 1 e 2 definidas pelo Governo Federal.

De acordo com os dados do Ministério da Saúde, o Estado recebeu 447.960 doses até esta segunda-feira (29.03) e já distribuiu 445.995 (99,5%).

Essas 445.995 doses já foram disponibilizadas de forma célere aos 14 Escritórios Regionais de Saúde espalhados por todo o estado, para que cada município promova a retirada.

Desse total, foram retiradas pelos municípios 373.291 doses. As prefeituras já aplicaram 220.794 (59,15%), sendo 158.240 como primeiras doses e 61.901 como segundas doses – confira o ranking de aplicação ao final da matéria.

Na força-tarefa de vacinação, cabe ao Governo do Estado fazer a logística de distribuição, que é definida pela Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT), composta por membros do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

A escolta dos materiais até os 14 polos de distribuição é feita pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), além das Polícias Federal e Rodoviária Federal e o Ministério da Defesa. Em alguns casos onde há necessidade, o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) disponibiliza sua frota aérea para dar celeridade à distribuição.

É importante ressaltar que é o Governo Federal que define o total de doses que cada estado recebe. Essa definição ocorre de acordo com a quantidade de pessoas que pertencem aos grupos prioritários, e não pela quantidade total da população. Ou seja, estados com maior número de idosos e profissionais de saúde recebem mais vacinas nesse primeiro momento.

Confira o ranking de vacinação dos 141 municípios de Mato Grosso:

Município Doses entregues pelo Estado ao município Doses aplicadas pelo município Eficiência de Aplicação
Gaúcha do Norte* 488 1.941 *397,75%
São Félix do Araguaia* 1.148 4.204 *366,20%
Alto Boa Vista* 514 1.168 *227,24%
Água Boa* 2.118 2.657 *125,45%
Colíder* 3.896 4.678 *120,07%
Juína* 4.296 4.286 *99,77%
Nova Guarita 742 710 95,69%
Santo Antônio do Leste 334 295 88,32%
Sorriso 5.777 5.074 87,83%
Aripuanã 1.316 1.099 83,51%
Primavera do Leste 5.222 4.329 82,90%
Nova Marilândia 346 277 80,06%
Nova Lacerda 440 352 80,00%
Guarantã do Norte 2.774 2.204 79,45%
Porto dos Gaúchos 560 434 77,50%
Juscimeira 1.258 974 77,42%
Santa Rita do Trivelato 236 180 76,27%
Tapurah 564 430 76,24%
Alto Taquari 684 521 76,17%
Campos de Júlio 434 327 75,35%
Vale de São Domingos 330 248 75,15%
Cláudia 868 652 75,12%
Nova Mutum 2.362 1.770 74,94%
Jaciara 2.937 2.198 74,84%
Novo Mundo 582 432 74,23%
Luciara 310 228 73,55%
São José do Xingu 406 296 72,91%
Lucas do Rio Verde 3.400 2.390 70,29%
Paranatinga 2.868 1.988 69,32%
Campo Verde 3.193 2.196 68,78%
Ipiranga do Norte 410 281 68,54%
Nortelândia 750 514 68,53%
Vera 862 590 68,45%
General Carneiro 2.916 1.988 68,18%
Serra Nova Dourada 254 173 68,11%
Rondolândia 378 257 67,99%
Ponte Branca 370 251 67,84%
Nova Santa Helena 386 261 67,62%
Araguainha 256 173 67,58%
Brasnorte 1.042 703 67,47%
Cuiabá 84.692 56.131 66,28%
Tesouro 678 449 66,22%
Pontal do Araguaia 666 441 66,22%
Sinop 14.026 9.286 66,21%
Araputanga 1.612 1.062 65,88%
Figueirópolis D’Oeste 424 279 65,80%
Planalto da Serra 378 248 65,61%
Rio Branco 606 397 65,51%
Conquista D’Oeste 358 234 65,36%
Santa Terezinha 680 442 65,00%
Marcelândia 1.084 704 64,94%
Porto Esperidião 1.158 751 64,85%
Alto Garças 1.292 836 64,71%
Vila Rica 1.384 888 64,16%
Poxoréu 2.134 1.362 63,82%
Canarana 1.732 1.102 63,63%
União do Sul 360 227 63,06%
Sapezal 940 590 62,77%
Rondonópolis 23.787 14.820 62,30%
Santa Carmem 392 244 62,24%
Curvelândia 622 386 62,06%
Santo Afonso 448 275 61,38%
Porto Estrela 410 251 61,22%
Ribeirãozinho 358 216 60,34%
Salto do Céu 492 295 59,96%
Novo Santo Antônio 287 172 59,93%
Comodoro 2.000 1.197 59,85%
Nova Maringá 454 269 59,25%
Itaúba 486 287 59,05%
Lambari D’Oeste 448 264 58,93%
Glória D’Oeste 416 245 58,89%
Novo Horizonte do Norte 512 301 58,79%
Nova Ubiratã 674 396 58,75%
Campo Novo do Parecis 1.644 964 58,64%
Alto Araguaia 1.882 1.101 58,50%
São Pedro da Cipa 416 243 58,41%
Alta Floresta 5.710 3.327 58,27%
São José dos Quatro Marcos 2.126 1.220 57,38%
Dom Aquino 1.110 636 57,30%
Terra Nova do Norte 1.264 715 56,57%
Nova Nazaré 446 251 56,28%
Jauru 1.094 615 56,22%
Matupá 1.304 732 56,13%
Araguaiana 462 258 55,84%
Indiavaí 298 163 54,70%
Guiratinga 2.018 1.095 54,26%
Acorizal 970 524 54,02%
Querência 990 531 53,64%
Peixoto de Azevedo 3.176 1.702 53,59%
Cocalinho 520 278 53,46%
Arenápolis 1.141 609 53,37%
Mirassol d’Oeste 2.388 1.262 52,85%
Novo São Joaquim 524 273 52,10%
Reserva do Cabaçal 390 202 51,79%
Bom Jesus do Araguaia 458 237 51,75%
Tangará da Serra 8.552 4.399 51,44%
São José do Rio Claro 2.372 1.220 51,43%
Nova Brasilândia 572 292 51,05%
Canabrava do Norte 410 209 50,98%
Pedra Preta 1.688 851 50,41%
Barra do Garças 12.869 6.293 48,90%
Tabaporã 772 376 48,70%
São José do Povo 596 289 48,49%
Diamantino 1.930 927 48,03%
Colniza 1.756 836 47,61%
Cáceres 10.600 5.032 47,47%
Juara 4.480 2.125 47,43%
Feliz Natal 792 374 47,22%
Confresa 1.832 862 47,05%
Cotriguaçu 800 376 47,00%
Ribeirão Cascalheira 978 458 46,83%
Campinápolis 9.492 4.399 46,34%
Chapada dos Guimarães 3.709 1.648 44,43%
Rosário Oeste 2.092 908 43,40%
Barra do Bugres 2.637 1.134 43,00%
Torixoréu 630 267 42,38%
Nova Bandeirantes 878 363 41,34%
Nova Canaã do Norte 1.232 508 41,23%
Apiacás 756 310 41,01%
Nobres 1.714 700 40,84%
Itanhangá 520 204 39,23%
Santa Cruz do Xingu 266 103 38,72%
Jangada 1.054 405 38,43%
Carlinda 1.290 495 38,37%
Nova Xavantina 2.014 753 37,39%
Porto Alegre do Norte 1.044 387 37,07%
Pontes e Lacerda 3.395 1.250 36,82%
Denise 616 225 36,53%
Itiquira 1.020 368 36,08%
Várzea Grande 29.056 10.262 35,32%
Juruena 766 267 34,86%
Vila Bela da Santíssima Trindade 1.602 482 30,09%
Paranaíta 1.065 314 29,48%
Nova Monte Verde 724 198 27,35%
Nova Olímpia 1.286 335 26,05%
Santo Antônio do Leverger 4.087 987 24,15%
Castanheira 722 168 23,27%
Alto Paraguai 1.066 243 22,80%
Poconé 7.932 1.658 20,90%
Barão de Melgaço 1.198 223 18,61%
Nossa Senhora do Livramento 4.081 597 14,63%
TOTAL 373.291 220.794 59,15%
*Devida a população indígena na região, os municípios podem estar registrando as doses aplicadas das aldeias localizadas nos municípios vizinhos com isso alguns municípios podem passar de 100%.
Fonte:  Ministério da Saúde (https://viz.saude.gov.br/extensions/DEMAS_C19Vacina/DEMAS_C19Vacina.html), 11:00hs, 29/03/2021
COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Senado aperta o cerco contra estelionato digital com punição maior
Propaganda

Executivo

Lira nega que Bolsonaro precise viajar para sancionar Orçamento

O presidente da  Câmara dos Deputados , Arthur Lira  (PP-AL), disse que o Orçamento da União deste ano será tratado com responsabilidade pelos parlamentares. Segundo ele, o País vive um momento econômico grave e de crise sanitária.

Lira negou informação publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo, que afirmou que  Bolsonaro  poderia viajar para fora do País, juntamente com o vice-presidente, Hamilton Mourão , para que ele (Lira) sancionasse o Orçamento.

Na ausência do presidente e do vice, o presidente da Câmara assume a Presidência da República.

A reportagem afirma que essa solução foi pensada para que resolver o impasse da sanção da lei orçamentária. O presidente Jair Bolsonaro tem até o dia 22 de abril para sancioná-la ou não.

Você viu?

O texto causa polêmica devido a cortes feitos em despesas obrigatórias e é alvo de negociação entre Executivo e Legislativo.

Os cortes em despesas obrigatórias da Previdência, do auxílio-doença e do seguro-desemprego seriam para gastos com pleitos de parlamentares.

Estudos da Câmara e do Senado apresentam sugestões para ajustar Orçamento deste ano

Leia Também:  Governo finaliza construção de pontes de concreto e melhora logística no Médio-Norte

“O País vive um momento grave de perdas e crise sanitária. O Orçamento é crucial e será tratado por mim e pela Câmara com responsabilidade. Desminto com veemência o conteúdo desta matéria do Estadão. O cidadão merece uma apuração sem ‘disse me disse’ e calcada na verdade”, afirmou Lira por meio de suas redes sociais.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA