Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

REPASSE

Governador autoriza repasse de R$ 230 milhões

O governador Mauro Mendes autorizou nesta terça-feira (06.04) o repasse de R$ 230 milhões para a Educação de Mato Grosso. Os recursos são referentes a superávit nas contas do Governo e serão destinados para a construção e reforma de escolas, além da compra de equipamentos e aparelhos de ar-condicionado.

O decreto foi assinado nesta terça-feira (06.04) e será publicado no Diário Oficial do Estado. A suplementação ocorreu após reunião com o vice-governador Otaviano Pivetta e os secretários de Estado Mauro Carvalho (Casa Civil) e Rogério Gallo (Fazenda).

“Tudo o que economizamos em 2020 agora vamos usar para fazer importantes investimentos em 2021 em toda a nossa rede estadual de Educação. O dinheiro será usado na construção, reforma e ampliação de escolas, além disso, vamos comprar equipamentos e modernizar tecnologicamente nossas unidades. Também será feito investimento na compra de ar-condicionado, pois são quase 300 escolas em Mato Grosso que ainda não tem sistema de ar-condicionado”, explicou o governador.

Os recursos fazem parte do programa Mais MT, com investimentos na ordem de R$ 9,5 bilhões para todas as áreas em quatro anos.

Leia Também:  Partidos iniciam obstrução em razão do cancelamento da sessão do Congresso

“A correta aplicação do dinheiro público, graças a Deus, está trazendo bons resultados para Mato Grosso em todas as áreas. O programa Mais MT é o maior programa de investimentos do Estado de Mato Grosso e vai fazer grandes obras, grandes ações em todas as áreas. Teremos muita coisa bacana para comemorar”, destacou Mauro Mendes.

O secretário de Educação, Alan Porto, pontuou que os investimentos vão promover melhorias nos três pilares para a Educação dentro do Mais MT: infraestrutura física e tecnológica e na parte pedagógica do ensino, tanto para professores quanto estudantes.

“Os investimentos vão garantir, por exemplo, a formação continuada dos estudantes e dos profissionais da educação. Nossa meta é melhorar cada vez mais o ensino público estadual e esses recursos nos dão garantia para continuar trabalhando nesse sentido, que é o que o governador Mauro Mendes nos determinou: melhorar as condições físicas das escolas, implementar cada vez mais recursos tecnológicos no ensino e dar aos professores e alunos a educação que todos merecem”, afirmou o secretário.

Leia Também:  Câmara discute valorização dos profissionais de educação

Alan Porto destacou que estão previstas a construção de 40 novas escolas, reformas em outras 40 e manutenção corretiva em mais 380 unidades. Além da aquisição de 100 mil notebooks para os alunos da rede estadual.

“Quero agradecer a todos os profissionais da nossa secretaria, ao secretário Alan Porto, ao nosso vice Otaviano Pivetta, aos secretários Rogério Gallo e Mauro Carvalho. Vamos continuar ampliando os investimentos, a exemplo daquilo que já fizemos, que foi destinar os recursos que já estão na conta dos professores para compra de notebook, para ter mais uma ferramenta para melhorar o ensino na rede estadual”, finalizou o governador Mauro Mendes.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Executivo

Lira nega que Bolsonaro precise viajar para sancionar Orçamento

O presidente da  Câmara dos Deputados , Arthur Lira  (PP-AL), disse que o Orçamento da União deste ano será tratado com responsabilidade pelos parlamentares. Segundo ele, o País vive um momento econômico grave e de crise sanitária.

Lira negou informação publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo, que afirmou que  Bolsonaro  poderia viajar para fora do País, juntamente com o vice-presidente, Hamilton Mourão , para que ele (Lira) sancionasse o Orçamento.

Na ausência do presidente e do vice, o presidente da Câmara assume a Presidência da República.

A reportagem afirma que essa solução foi pensada para que resolver o impasse da sanção da lei orçamentária. O presidente Jair Bolsonaro tem até o dia 22 de abril para sancioná-la ou não.

Você viu?

O texto causa polêmica devido a cortes feitos em despesas obrigatórias e é alvo de negociação entre Executivo e Legislativo.

Os cortes em despesas obrigatórias da Previdência, do auxílio-doença e do seguro-desemprego seriam para gastos com pleitos de parlamentares.

Estudos da Câmara e do Senado apresentam sugestões para ajustar Orçamento deste ano

Leia Também:  Governador dá posse ao colegiado de vogais da Junta Comercial

“O País vive um momento grave de perdas e crise sanitária. O Orçamento é crucial e será tratado por mim e pela Câmara com responsabilidade. Desminto com veemência o conteúdo desta matéria do Estadão. O cidadão merece uma apuração sem ‘disse me disse’ e calcada na verdade”, afirmou Lira por meio de suas redes sociais.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA