Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

SUDOESTE MATO-GROSSENSE

Cáceres comemora 242 anos de fundação com ações do Governo do Estado no município

Quinta cidade mais antiga e sexta mais populosa de Mato Grosso, com 94.861 habitantes, a bicentenária Cáceres, distante 220 quilômetros de Cuiabá no sentido Sudoeste, completa 242 de fundação nesta terça-feira (06). O Governo de Mato Grosso comemora junto com ações em saúde, infraestrutura, educação, profissionalização, agricultura familiar, turismo, assistência social e segurança pública.

Entre repasses financeiros e obras no hospital regional, em rodovias e pontes, na retomada da ZPE (Zona de Processamento de Exportação), construção e reforma de escolas e projeto de revitalização da orla do rio Paraguai, Cáceres está sendo beneficiada com investimentos de quase R$ 200 milhões. Para ajudar no combate à pandemia, foram enviados testes rápidos e medicamentos.

Saúde

O Governo do Estado investiu R$ 5,5 milhões em 30 novos leitos (10 para  UTIs e 20 para enfermarias) e na ampliação do Hospital Regional de Cáceres, que passou a contar com mais 1.200 metros quadrados de espaço.

A unidade é referência em alta complexidade para 22 municípios do Oeste e Sudoeste mato-grossense, além de duas cidades bolivianas – San Mathias e San Ignácio de Velasco, envolvendo uma população de 400 mil habitantes.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) enviou ao município 8 mil testes rápidos para detecção do coronavírus e um total de 345.416 comprimidos, entre azitromicina (42.469), ivermectina (33.975) e dipirona (268.972), também distribuído em gotas, num total de 6.606 frascos.

Educação

Está definida pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), a construção de 16 salas de aula e quadra poliesportiva na Escola Estadual Vila Real, com investimentos previstos de R$ 5,1 milhões, além da manutenção das escolas estaduais 11 de Março, Gabriel Pinto de Arruda e Leopoldo Ambrósio Filho, num total de R$ 476 mil.

Por meio da Seciteci (Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação), foram retomadas as obras da Escola Técnica Estadual, com 95% dos serviços executados e previsão de entrega em dezembro deste ano. Em área de 5.577 metros quadrados, foram construídas 12 salas de aula, 11 laboratórios, auditório com capacidade para 150 pessoas, biblioteca, quadra poliesportiva, centro de vivência e salas administrativas.

Infraestrutura

Após mais de três décadas de espera, foram retomadas, em fevereiro deste ano, as obras da Zona de Processamento de Exportação (ZPE), com 15% dos serviços executados.

Leia Também:  Emanuel Pinheiro faz alerta contra relaxamento de medidas de biossegurança na pandemia

Com prazo de conclusão de 15 meses, serão investidos R$ 15,4 milhões, do Fundeic/MT (Fundo de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso), coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec). Sua conclusão dará mais competitividade às exportações estaduais, uma vez que as empresas lá instaladas terão tratamento específico.

Também sob a responsabilidade da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), estão em execução duas obras na MT-343, entre Cáceres e Barra do Bugres, cujos investimentos somam R$ 84,2 milhões. O primeiro trecho, entre o distrito cacerense de Vila Aparecida e Porto Estrela, é de 64,4 quilômetros; enquanto o segundo, entre Porto Estrela o entroncamento da MT 246 em Barra do Bugres, soma 30,88 quilômetros.

Ainda na MT 343 estão sendo investidos mais R$ 8 milhões na construção de quatro pontes beneficiando Cáceres – córregos Ribeirão Três, Figueirinha e Salobra Grande, com 30 metros extensão, e córrego Cachoeirinha, com 50 metros.

Foi finalizado o projeto de revitalização da orla do rio Paraguai, com recursos previstos de R$ 21,5 milhões, do Ministério do Turismo, com contrapartida de R$ 863 mil do Governo do Estado.

Porto Fluvial

O Governo do Estado também firmou, em janeiro deste ano, um acordo de cooperação com a Associação Pró Hidrovia do Rio Paraguai (APH), que se comprometeu a investir R$ 1,5 milhão na recuperação de sua estrutura física, equipamentos e fazer as adequações necessárias.

A meta é a retomada de suas atividades e voltar a escoar a produção regional de grãos (e retornar com fertilizantes e adubos de países vizinhos) pela hidrovia Paraguai-Paraná, entre Cáceres e Nueva Palmira, no Uruguai, num total de 3.442 quilômetros.

Repasses

Até setembro deste ano de 2020, o Governo do Estado repassou ao município R$ 28,36 milhões, entre ICMS, IPVA e Fethab, e outros R$ 16,4 milhões referentes a assistência social, transporte escolar, saúde e emendas parlamentares entre 2019 e julho de 2020.

A assistência social não ficou restrita aos repasses. Pelos programas Vem Ser mais Solidário e Aconchego, a Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) entregou 2.200 cestas básicas e 2.200 cobertores à população carente do município.

Economia

Maior rebanho bovino de Mato Grosso e quarto maior do país, com 1,09 milhão de cabeças, Cáceres é também o primeiro do estado na criação de cavalos (e 11º do país), com 17,13 mil cabeças.

Leia Também:  Botelho debate com professores da UFMT medidas de proteção ao Pantanal

Sua pecuária é composta ainda por rebanho galináceo (141,9 cabeças, das quais 88 galinhas, com 528 mil dúzias de ovos), ovino (15,95 mil cabeças, segundo maior do estado) e suíno (8,6 mil cabeças, com 3.162 matrizes), além 7.400 vacas ordenhadas, que produziram 12,2 milhões de litros.

O PIB (Produto Interno Bruto) municipal em 2017, de R$ 1,816 bilhão (14º no ranking estadual), é composto por serviços (R$ 854,48 milhões), administração pública (R$ 500,28 milhões), agropecuária (136,77 milhões), indústria (R$ 127,55 milhões) e impostos (R$ 198,68 milhões). O PIB per capita é de R$ 19.896,86.

Na agricultura, o município produz abacaxi, banana, laranja, limão, mamão, melancia, melão, cana-de-açúcar, mandioca, milho, soja e tomate.

História

Cáceres foi fundada em 6 de outubro de 1778, por determinação do quatro governador e capitão-general da capitania de Mato Grosso, Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres, com o nome Vila de São Luiz de Cáceres. Chegou a se chamar também Vila-Maria do Paraguai, em homenagem à rainha portuguesa.

Segundo historiadores, os motivos para sua fundação “foram a necessidade de defesa e incremento da fronteira sudoeste de Mato Grosso; a comunicação entre Vila Bela da Santíssima Trindade e Cuiabá e, pelo rio Paraguai, com a capitania de São Paulo; e a fertilidade do solo no local, com abundantes recursos hídricos”.

Em 1914, recebeu a visita do ex-presidente dos Estados Unidos, Theodore Roosevelt, que participava da Expedição Roosevelt-Rondon. No início de 1927, Cáceres viveu dois acontecimentos marcantes: a passagem da Coluna Prestes por seus arredores, que provocou a fuga de muitos moradores, e o pouso do hidroavião italiano Santa Maria, o primeiro a sobrevoar Mato Grosso.

No início dos anos de 1960, foi construída a ponte Marechal Rondon, sobre o rio Paraguai, facilitando a expansão em direção ao noroeste do Estado. A chegada de uma nova leva migratória mudou o perfil de Cáceres, cuja ligação com Cuiabá foi se intensificando. Neste período ocorre a emancipação de vários de seus distritos: Mirassol d’Oeste, Rio Branco, Salto do Céu, Jauru, Porto Esperidião, Pontes e Lacerda, São José dos Quatro Marcos, Araputanga, Reserva do Cabaçal, Figueirópolis, Porto Estrela, Glória d’Oeste e Lambari d’Oeste.

(Colaboraram com informações: Karine Miranda, da Sinfra, Fernanda Nazário, da SES; Thielli Bairros, da Sedec, Rosane Brandão, Seduc)

Fonte: GOV-MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Executivo

Mauro vai a Brasilia para negociar compra de 1,5 milhão de doses da Sputnik V

O governador Mauro Mendes (DEM) vai participar de uma reunião, em Brasília, com outros 20 governadores para tentar comprar a vacina Russa, Sputnik V para combater a covid-19. A declaração foi dada nesta segunda-feira, em entrevista coletiva, no Palácio Paiaguás.

Segundo Mauro, o Governo do Estado tem dinheiro para comprar a vacina, mas não tem encontrado doses disponíveis no mercado. O objetivo é comprar 1,5 milhão de doses.

Nós temos o dinheiro para comprar, o problema é encontrar quem queira vender. Nós estamos tentando, amanhã tenho uma reunião na União Química, com a Sputnik. Eu e mais uns 15, 20 governadores. Eu quero fechar um grande pacote com a Sputnik. Eu já consegui encontrar vacina para o mês de setembro, mas eu quero agora, para o mês de março, abril”, afirmou.

Fonte: RepórterMT

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Brasil pede explicações à China sobre frango supostamente contaminado
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA