Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

PEDIDO

Após pedido do prefeito de Cuiabá, Bolsonaro promete estudar envio de doses extras de vacinas para Cuiabá

 

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro, participou na tarde de hoje (8), em Brasília, de uma reunião com o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, onde reiterou a necessidade de envio de doses extras de imunizantes à capital. O deputado federal Emanuel Pinheiro Neto, principal interlocutor do diálogo com o Governo Federal, também esteve presente ao encontro. Na reunião, o chefe do executivo municipal, entregou um ofício ao presidente onde solicita o envio de 670 mil doses de vacinas, o que possibilitará a imunização em massa. Pinheiro aguarda até a próxima sexta-feira (11) que o Governo Federal dê o retorno quanto à solicitação, que se originou após o anúncio de que Cuiabá será uma das sub-sedes da Copa América.

Conforme Pinheiro, Bolsonaro apresentou-se receptivo ao pedido e afirmou que irá reunir o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga e o ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, para responder ao pedido.

“Viemos formalizar o pedido ao presidente para compensar à população. Entregamos um ofício e relatório da Coordenação do programa Vacina Cuiabá quantificando nossa necessidade. De minha parte, quanto mais vacinas recebermos, melhor. O presidente mostrou-se muito interessado. Nós conversamos muito sobre Cuiabá e ele entendeu nosso pleito”, disse Emanuel Pinheiro.

Leia Também:  Ministro da Justiça realiza exames após sentir mal-estar

O gestor reiterou ainda que “é preciso que os gestores unam forças e canalizem toda sua energia para imunizar a população, única forma de derrotar de uma vez por todas a covid-19”. Mais uma vez, ponderou que Cuiabá não foi chamada a decidir se aceitaria recepcionar o megaevento futebolístico e que deve ser  compensada com a imunização total de sua população adulta. Caberá ao deputado federal Emanuel Pinheiro Neto dar continuidade a interlocução com o governo federal. Emanuel Pinheiro retorna às atividades na capital nesta quarta-feira (9).

“O restante da semana vamos articular e quanto mais conseguirmos, melhor. Vamos continuar trabalhando para que a gente possa salvar vidas, justamente no momento em que Cuiabá será uma das subsedes da Copa América. Vamos dar seguimento às nossas tratativas e tenho certeza de que até sexta-feira, no mais tardar, já teremos um retorno”, asseverou o deputado federal Emanuelzinho.

A decisão da realização da Copa América –  em Cuiabá – não é de responsabilidade do município, mas sim, do  Governo Federal, da Confederação Brasileira de Futebol e Governo do Estado. Cinco jogos serão realizados na Arena Pantanal, a partir do próximo domingo (13).

Leia Também:  Seplag promove campanha contra o sedentarismo

Até o momento, dados da plataforma Localiza SUS apontam que Cuiabá já vacinou com a primeira dose 24,8% de sua população geral e 33,7% da população acima de 18 anos. Já com a segunda dose, 9,9% da população em geral está com o esquema vacinal completo e 13,4% da população acima de 18 anos já recebeu as duas doses. Já foram aplicadas mais de 210 mil doses do imunizante.

No total, a Arena Pantanal receberá jogos das seleções da Argentina, Uruguai, Chile, Equador e Bolívia, entre os dias 13 e 28 deste mês. Não será permitido público no estádio, mas a grande movimentação de profissionais para a realização do evento desportivo é preocupação da gestão.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Executivo

BPC: governo quer mudar regras do benefício e ampliar número de recebedores

O governo federal quer alterar as regras do Benefício de Prestação Continuada (BPC) . Atualmente, quem assina c arteira de trabalho perde direito ao benefício de R$ 1.100 , no entanto, governo quer pagar R$ 550 para quem conseguir emprego.

Para que isso aconteça, o emprego formal precisa pagar ao menos dois salários mínimos (R$ 2.200), como adiantou a Folha de São Paulo. A intenção do governo é estimular o emprego entre aqueles que recebem o programa.

A equipe econômica embutiu a alteração numa Medida Provisória já aprovada pelo Congresso, e segue para sanção presidencial, que deve acontecer em julho.

A previsão é de redução nos gastos do BPC. A legislação federal exige que empresas com cem ou mais funcionários ocupem de 2% a 5% de seus cargos com pessoas com deficiência. Com isso, a equipe econômica espera que cerca de 300 mil vagas para trabalhadores com deficiência sejam preenchidas.

Se a previsão se concretizar, serão economizados R$ 165 milhões.

Você viu?

Quem pode solicitar?

Aqueles que nunca pagaram mensalmente o carnê previdenciário podem conseguir o  Benefício de Prestação Continuada (BPC), popularmente conhecido como LOAS.

Leia Também:  Governo amplia prazo de consulta pública para apresentação de estudos técnicos

O Benefício de Prestação Continuada (BPC) da Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS) é a garantia de um salário mínimo mensal à pessoa com deficiência que comprove não possuir meios de prover a própria manutenção, nem de tê-la provida por sua família.

Critérios

Tem direito ao BPC o brasileiro, nato ou naturalizado, e as pessoas de nacionalidade portuguesa, desde que comprovem residência fixa no Brasil e renda por pessoa do grupo familiar inferior a ¼ de salário mínimo atual.

Também posem solicitar o benefício as pessoas que apresentam impedimentos de longo prazo (mínimo de 2 anos) de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

Leia Também:  Obras avançam em Gaúcha do Norte com aplicação de capa asfáltica na MT-129

Veja  aqui o passo a passo para conseguir o BPC.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA