Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

SALÁRIO

MEIs pagarão nova taxa de contribuição ao INSS

O valor da contribuição mensal dos microempreendedores individuais ( MEIs ) para o Instituto Nacional do Seguro Social ( INSS ) será reajustado a partir deste mês e passará a ser de R$ 55 . O pagamento deve ser feito até o dia 20 de cada mês.

Com o reajuste, a guia mensal de pagamento terá valor máximo de R$ 61 , dependendo da atividade de atuação. Se o empreendedor atua no comércio ou indústria, ele paga R$ 1 a mais de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e, se for prestador de serviços, R$ 5 a mais. Em alguns casos, é possível ter que pagar as duas taxas, além da contribuição.

A alteração acontece por causa da mudança do salário mínio , que passou a ser de R$ 1,1 mil no dia 1º de janeiro deste ano.

Após o pagamento, o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) deve ser emitido pelo Portal do Empreendedor ou pelo aplicativo do MEI. Em caso de atraso, há uma multa diária de 0,33%, acrescida ao valor da contribuição.

O pagamento atualizado dessa taxa é importante para que o MEI mantenha seus direitos e benefícios ativos . Os principais são:

  • Aposentadoria por invalidez;
  • Auxílio-doença;
  • Salário-maternidade;
  • Pensão por morte;
  • Aposentadoria por idade.
Leia Também:  Crédito liberado pelo governo é essencial para sobrevivência dos pequenos negócios

Quem pode ser MEI

Para ser microempreendedor individual é preciso ter uma empresa independente e um faturamento máximo de R$ 81 mil por ano. O empresário não pode ter participação em outros negócios como sócio ou titular e deve ter, no máximo, um empregado contratado.

Em 2020, o Brasil registrou 2,6 milhões de novos MEIs, a maior adesão dos últimos cinco anos, segundo levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) com dados da Receita Federal. Atualmente, já são mais de 11,2 milhões de MEIs ativos.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Deputados divergem sobre PEC Emergencial

A PEC Emergencial, proposta que muda a Constituição para criar mecanismos de ajuste fiscal, está em discussão no Senado, mas na Câmara os debates sobre o assunto já esquentam. A proposta foi o principal tema de reunião da Frente Parlamentar do Serviço Público.

Da Redação – RL

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Cuiabá é atualmente a capital nacional da mulher
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA