Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

ALTA

Dólar fecha em R$ 5,40 e registra maior alta em mais de três meses

Com o avanço do dólar no exterior e mais preocupações fiscais no Brasil, a moeda norte-americana cresceu o seu valor fortemente no Brasil nesta quinta-feira (7). A divisa registrou a maior alta em mais de três meses, num dia de expectativa frustrada por intervenção do Banco Central (BC).

O salto foi de 1,82%, fazendo a moeda atingir o valor de R$ 5,3999 na venda, próximo da máxima da sessão. Desde 23 de setembro, o dólar não valorizava tanto em um dia. Na ocasião, o aumento foi de 2,18% . Já o valor é o mais alto desde 23 de novembro, quando a moeda atingiu R$ 5,4353.

O dia já começou com firme alta de 0,8%, chegando a ter uma desaceleração do movimento até virar e cair a uma mínima de 5,2997 reais (-0,07%) pouco depois das 11h.

A partir deste momento, entretanto, as compras voltaram com força, levando a cotação a bater a máxima do dia, de R$ 5,414 , com alta de 2,08% por volta de 14h30.

No exterior, o índice do dólar contra uma cesta de seis moedas saltava 0,6%, tendo seu maior ganho desde o fim de outubro .

Leia Também:  Parlamento Amazônico será reinstalado nesta manhã

O dólar subia perante 29 de seus 33 principais rivais, incluindo moedas de países emergentes, como o rand sul-africano (-2,6%), o peso chileno (-2,2%), o peso colombiano (também -2,2%) e o peso mexicano (-1,9%), que lideraram as perdas globais.

No Brasil, as preocupações do lado fiscal aumentam a pressão sobre o real . O deputado federal e presidente do MDB, Baleia Rossi (SP), lançou na quarta-feira sua candidatura oficial à presidência da Câmara dos Deputados, defendendo a rejeição da submissão ao Poder Executivo e a prorrogação do auxílio emergencial em meio à pandemia do novo coronavírus.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Dólar fecha a R$ 5,36 em dia de bastante volatilidade

Num dia de bastante volatilidade, o dólar reverteu o otimismo registrado pela manhã e aproximou-se de R$ 5,40 durante a tarde, antes de desacelerar perto do fim da sessão. A bolsa de valores emendou a terceira sessão seguida de queda, depois de operar em leve alta na abertura dos negócios.

O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (21) vendido a R$ 5,364 , com alta de R$ 0,052 (+0,99%). Pela manhã, a divisa chegou a cair 1,5%, para R$ 5,23, mas a cotação reverteu a tendência perto das 12h, até fechar próxima da máxima do dia.

Você viu?

No mercado de ações, o dia também foi marcado pela turbulência. O índice Ibovespa , da B3, fechou o dia aos 118.329 pontos, com recuo de 1,1%. O indicador afastou-se do nível recorde de 125 mil pontos registrado no último dia 8.

A volatilidade no mercado financeiro intensificou-se após declarações do candidato à presidência do Senado Rodrigo Pacheco (DEM-MG) de que a eventual reinstituição do auxílio emergencial será discutida na primeira semana da nova legislatura do Congresso . Mais tarde, ele afirmou que o tema será debatido com respeito às regras fiscais e ao teto federal de gastos.

Leia Também:  Aposentados e pensionistas do INSS reivindicam 14º salário

Uma eventual extensão do auxílio emergencial sem a compensação por outras fontes de recursos aumentaria os gastos públicos. Isso eleva a pressão sobre o mercado financeiro, que pede a continuidade das reformas estruturais, como a administrativa e a tributária.

* Com informações da Reuters

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA