Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

ECONOMIA

Brasileiros acreditam que inflação fechará 2020 em 4,8%, diz FGV

A expectativa de inflação dos consumidores brasileiros para os próximos 12 meses, ou seja, a taxa acumulada de janeiro a dezembro de 2020, deverá ficar em 4,8%, segundo pesquisa realizada neste mês pela Fundação Getulio Vargas (FGV). A taxa é a mesma obtida na pesquisa do mês anterior, para o período acumulado de dezembro de 2019 a novembro de 2020.

Em dezembro do ano passado, no entanto, os consumidores estimaram uma inflação de 5,4% para o ano de 2019. A expectativa é calculada com base em entrevista com consumidores, que respondem à pergunta: na sua opinião, de quanto será a inflação brasileira nos próximos 12 meses?

A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acumula taxa de 3,27%, segundo dados consolidados de novembro deste ano.

 

 

 

Fonte: Agencia Brasil | Foto: Agencia Brasil

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Aneel diz que pagamento de empréstimos reduzirá tarifa de energia

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

ECONOMIA

Dia dos Pais supera Dia das Mães em volume e faturamento de vendas

Fonte: Exame|Uma pandemia de novo coronavírus conseguiu mudar os trajes arraigados. Prova disso é que o Dia dos Pais superou o Dia das Mães em vendas, de acordo com dados da Rede, empresa de meios de pagamento do Itaú Unibanco, divulgados com exclusividade para um EXAME. Os filhos compraram mais e pagaram mais caro pelos presentes.

Entre os dias 6 e 9 de agosto, as vendas foram 25% maiores em faturamento e 20% maiores em volume, em relação ao período de 8 a 10 de maio. Já na comparação com o Dia dos Pais do ano passado, o aumento no faturamento do comércio foi de 13% e em transações realizadas, de 4%.

“A retomada da atividade econômica, ainda que parcial, trouxe mais confiança ao consumidor, que comprou e gastou mais no presente do pai, em relação ao que vimos em maio. Além disso, há um certo desejo reprimido de consumo que favorece mais as vendas neste momento ”, diz Eduardo Amorin, diretor da Rede.

Mas há hábitos que nem mesmo uma pandemia conseguiu mudar: os brasileiros continuam deixando para comprar de última hora. No sábado, véspera do Dia dos Pais, o volume de vendas foi 54% maior do que no 1º dia útil do mês.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Inflação do aluguel acumula taxa de 8,32% em 12 meses
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA