Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

Destaque

Nova presidente do Tribunal Superior do Trabalho defende mudar CLT

A nova presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho), ministra Maria Cristina Peduzzi, afirmou que a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) “precisa de muita atualização ainda”. A afirmação foi feita em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo publicada nesta 2ª feira (16.dez.2019). Na entrevista, Peduzzi concordou que a reforma trabalhista pode trazer precarização, […]

A nova presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho), ministra Maria Cristina Peduzzi, afirmou que a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) “precisa de muita atualização ainda”. A afirmação foi feita em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo publicada nesta 2ª feira (16.dez.2019).

Na entrevista, Peduzzi concordou que a reforma trabalhista pode trazer precarização, mas afirmou que, com a “4ª revolução industrial”, as leis do trabalho precisam ser atualizadas. “Convivemos com modos de produção que eram impensáveis à época em que a CLT foi editada”, disse.

A nova presidente do TST defendeu que a medida provisória do Programa Verde e Amarelo não tem nada a ver com reforma trabalhista. “Ela foi pontual, quis-se estimular a empregabilidade”, declarou.

“O mundo mudou mesmo. No mundo todo o comércio abre aos domingos. Vamos acabar qualquer dia desses não distinguindo mais 2ª feira de domingo. Sei lá, talvez [o trabalhador] pode até preferir.”, disse, ao ser questionada sobre a menção do trabalho aos domingos na Medida Provisória.

Leia Também:  Pequenos mercados investem em novas estratégias em meio à crise

A ministra assumirá a presidência da Justiça do Trabalho em 19 de fevereiro de 2020, para 1 mandato de 2 anos.

 

 

 

Fonte: Poder360 | Foto: Giovanna Bembom/TST

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Destaque

Governador teme prisão e passa a dormir fora de casa

Redação com Metrópoles

Um importante governador anda receoso.

Chegou a ele a informação de que em breve a Polícia Federal baterá à sua porta. Receoso, este governador passou a dormir alguns dias na casa de amigos. Não quer passar pela vergonha de ser levado pela polícia, com o passeio possivelmente filmado pelas câmeras de TV.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Com coronavírus, vendas online de álcool em gel crescem mais de 4700% no país, aponta estudo
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA