Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

Destaque

Cresce percentual de brasileiros que esperam promoção para comprar itens caros

Pesquisa divulgada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) nesta 3ª feira (14.jan.2019) mostra que 7 em cada 10 consumidores esperam promoções e saldões para adquirir bens de maior valor, como eletrodomésticos, móveis, celulares, eletrônicos e automóveis.

Em 2013, o percentual daqueles que diziam aguardar saldões para fazer as compras era 64%. Subiu para 71% em 2019.

A pesquisa “Retratos da Sociedade Brasileira”, sobre o perfil do consumidor, ouviu 2.000 pessoas em 126 municípios, de 19 a 22 de setembro de 2019. Eis a íntegra do levantamento.

De acordo com a CNI, a situação econômica do país no últimos anos influenciou o aumento no número de consumidores que aguardam ofertas. “A perda de poder de compra durante a crise recente pode ter influenciado os brasileiros a esperar para adquirir bens de maior valor a preços menores durante promoções e saldões”, diz material divulgado pela confederação.

PECHINCHAR

O levantamento também indica que 81% dos brasileiros costumam pechinchar antes de ir às compras. O percentual era de 78% em 2013. Esse hábito é 1 pouco menos adotado pelos mais jovens (de 16 a 24 anos): 73% deles são adeptos a prática.

Leia Também:  Ministério da Saúde quer incluir mais 50 milhões de brasileiros no SUS

A pesquisa também aponta que o percentual de consumidores que se importa com a garantia e os serviços de pós-venda aumentou. Passou de 65%, em 2013, para 74%, em 2019.

O preço, a qualidade e a marca do produto são considerados os fatores mais importantes na hora de adquirir o bem de maior valor, de acordo com o levantamento. Por outro lado, os fatores que menos importam para a compra são a propaganda, o design e a novidade.

Entre os entrevistados, 93% disseram ter o costume de pesquisar os preços dos bens de maior valor antes da aquisição. Outros 80% disseram pesquisar as características técnicas desses bens.

O levantamento também questionou os consumidores sobre os hábitos de pesquisar preços e características técnicas dos bens de maior valor antes da aquisição.
Preços:

  • 93% – costumam pesquisar;
  • 6% – não costumam pesquisar.

Características técnicas:

  • 80% – costumam pesquisar;
  • 19% – não costumam pesquisar.
  • 1% – não sabem/não respondeu.

PODER360

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Destaque

Veja os dados do Painel Covid-19 desta última sexta-feira (7)

Por Roberta Penha | Nesta sexta-feira (7), Cuiabá tem 13.626 casos confirmados de Covid-19 de residentes no município e 2.661 de não residentes, mas que estão sendo atendidos na capital. Dos confirmados, 3.329 já estão recuperados da doença e houve 604 óbitos de residentes e 278 de não residentes.

Na rede hospitalar há 278 pacientes confirmados com Covid-19 internados, sendo 180 na UTI e 98 em enfermaria. Também estão internados 169 pacientes com suspeita da doença, sendo 78 na UTI e 91 em enfermaria. Do total de pessoas internadas em UTI, 160 são de residentes em Cuiabá e 98 de residentes de outros municípios. Do total de internados em enfermaria/isolamento, 142 pessoas são de Cuiabá e 47 de outros municípios.

Hoje Cuiabá registrou mais 13 óbitos, chegando a um total de 604 mortes. O prefeito Emanuel Pinheiro e o secretário municipal de Saúde, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho lamentam profundamente estes óbitos.

Segue abaixo a relação dos óbitos de residentes em Cuiabá:

-Mulher, 28 anos, internada em hospital privado. Não foi divulgado se tinha comorbidade. Foi a óbito em 07/08.

-Homem, 39 anos, internado em hospital público. Não tinha comorbidade. Foi a óbito em 07/08.

-Homem, 58 anos, internado em hospital privado. Tinha neoplasia. Foi a óbito em 07/08.

-Homem, 69 anos, internado em hospital privado. Tinha hipertensão, diabetes e problema pulmonar. Foi a óbito em 06/08.

-Homem, 82 anos, internado em hospital privado. Não tinha comorbidade. Foi a óbito em 28/07.

-Homem, 70 anos, internado em hospital público. Não tinha comorbidade. Foi a óbito em 07/08.

-Mulher, 68 anos, internada em hospital público. Não tinha comorbidade. Foi a óbito em 07/08.

-Mulher, 58 anos, internada em hospital público. Tinha hipertensão. Foi a óbito em 07/08.

-Homem, 87 anos, internado em hospital privado. Tinha hipertensão. Foi a óbito em 06/08.

-Mulher, 80 anos, internada em hospital privado. Tinha hipertensão e diabetes. Foi a óbito em 06/08.

-Homem, 63 anos, internado em hospital privado. Tinha hipertensão, diabetes e problema cardiovascular. Foi a óbito em 07/08.

-Homem, 59 anos, internado em hospital privado. Tinha hipertensão. Foi a óbito em 06/08.

-Mulher, 76 anos, internada em hospital privado. Tinha hipertensão e diabetes. Foi a óbito em 06/08.

Fonte: Prefeitura de Cuiabá

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Rendimento médio mensal de brasileiros mais ricos cresceu 8,4% em 2018
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA