Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

Coluna João Pedro Marques

O Natal chegou e, mesmo assim, o caldeirão politico ferve aqui em Brasilia. A pesquisa que avalia a popularidade do presidente Bolsonaro é o assunto do momento

AVALIAÇÃO

Uma pesquisa da CNI-Ibope jogou um balde água fria na popularidade do presidente Jair Bolsonaro. Oíndice de confiança dos brasileiros no presidente é de 56%, aponta a pesquisa. Em comparação com o número do estudo divulgado em setembro, o índice decresceu: na época, 51% da população não acreditava no chefe do Executivo.Foram ouvidas 2 mil pessoas em 127 municípios, entre 5 e 8 de dezembro.

TÔ NEM AÍ

Bolsonaro não quis comentar a pesquisa nesta sexta-feira e ainda anunciou uma medida considerada impopular: Disse que vai tirar beneficiários do Bolsa Família. É que o Governo quer mudar o processo de triagem de quem recebe o benefício e a verba destinada ao programa vai diminuir em 2020. Segundo Bolsonaro, 5,1 mil pessoas recebem o recurso indevidamente. Esse número representa 0,037% dos mais de 13 milhões de beneficiários.

SEM SABER

O presidente Bolsonaro não quis comentar sobre a intenção de taxar as transações online, ideia do ministro da Economia Paulo Guedes. Na manhã desta sexta-feira ele disse a jornalistas que a proposta ainda não havia chegado ao Planalto. Mas ele explicou que a intenção de Guedes é “substituir imposto” e “simplificar a teia” tributária no país.

PRESÍDIO, NÃO!

Após tomar conhecimento de um plano de resgate do líder do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Camacho, o Marcola, do Presídio Federal de Brasília, o governador Ibaneis Rocha (MDB) voltou a criticar, nesta sexta-feira, a transferência de líderes de facções criminosas para presídios no DF. Taxativo, ele disse que sempre foi contra a ida de bandidos para Brasília.

Leia Também:  Aprovação a Bolsonaro sobe e é a melhor desde o início do mandato e ele ri à toa

PREVIDÊNCIA 01

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), avaliou nesta sexta-feira, durante café da manhã com jornalistas, que se a Câmara dos Deputados aprovar apenas a inclusão de estados e municípios e do Distrito Federal nas mesmas regras de aposentadoria aprovadas para os servidores públicos federais na chamada PEC Paralela da Reforma da Previdência (PEC133/19), o Senado estará contemplado.

PREVIDÊNCIA 02

Pelo menos outros 16 pontos estão no texto que foi aprovado no Senado e aguarda exame de admissibilidade na CCJ da Câmara. Na lista, estão o cálculo mais vantajoso de aposentadores por incapacidade em caso de acidente, regras diferenciadas para profissionais de segurança estaduais e municipais, além transição mais suave para mulheres. A polêmica continua em 2020.

DESEMPREGO

A polêmica proposta de taxar o seguro desemprego, instituída na Medida Provisória (MP) 905, que cria o “Emprego Verde Amarelo“, será retirada do texto, garantiu o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) nesta sexta.Segundo ele, pelo menos oito pontos instituídos pelo governo federal sofrerão alteração, incluindo também o que acabava com a obrigatoriedade de registro profissional para algumas categorias.

Leia Também:  CONTA ALTA: Eleições municipais podem dificultar negociações do Governo com deputados e senadores. Confira outras informações na coluna JPM desta terça-feira (4)

É NATAL

O Natal chegou e com a movimentação intensa para as festas de fim de ano e férias, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) começa hoje (20) a operação Rodovida, com o objetivo de diminuir a violência no trânsito. Aqui nos arredores de Brasília é PRF para todos os lados. Com ações educativas e de fiscalização, a Operação Rodovida vai até o dia 1º de março.

ARROCHO

Em novas exigências, o Ministério da Educação (MEC) estabeleceu uma nota de corte de 400 na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para que o participante tenha acesso a uma das modalidades do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).Hoje, o MEC ainda exige nota média mínima de 450 pontos. A média nacional é de 522,8, conforme levantamento da pasta.

COFRE FECHADO

Os processos judiciais envolvendo a União e entes federativos evitaram um impacto de R$ 6,3 bilhões aos cofres públicos em 2019, segundo balanço da Advocacia-Geral da União (AGU).Boa parte dos processos foram ajuizados por estados pleiteando obtenção de linha de crédito diferenciada para o pagamento de precatórios. A data final para esses pagamentos passou para 31 de dezembro de 2024.

JPM – João Pedro Marques é advogado e jornalista com escritórios em Brasília e Mato Grosso.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Coluna João Pedro Marques

Aprovação a Bolsonaro sobe e é a melhor desde o início do mandato e ele ri à toa

RINDO À TOA

Marcelo Camargo – Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro está rindo á toa. Ele alcançou sua melhor avaliação desde o início do mandato, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (14). A pesquisa aponta que 37% dos brasileiros consideram o atual governo ótimo ou bom (eram 32% no levantamento feito nos dias 23 e 24 de junho. Já o índice dos que consideram sua gestão ruim ou péssima caiu de 44% para 34% no mesmo período. Desta vez, 27% avaliam como regular o atual governo, ante 23% em junho. Já os adversários, é só choradeira.

CAIU NO COLO

A melhora na avaliação de Bolsonaro coincide com o momento em que ele baixou o tom no enfrentamento ao Judiciário e ao Congresso, deixando de participar de atos pró-ditadura e com a constituição de uma base parlamentar em aliança com o Centrão. Também nesse período se intensificou o pagamento de auxílios emergenciais para a população mais pobre e vários setores da economia em razão da pandemia de covid-19.

NO LIMITE

Conversas de bastidores dão conta que o a paciência de Bolsonaro com Paulo Guedes chegou ao limite e a saída dele do ministério da Economia é questão de tempo. Talvez, de um fim de semana. O presidente não gostou nada das declarações que Guedes fez à Imprensa sobre os riscos de o governo furar o teto de gastos. A situação levou o presidente a dizer a assessores mais próximos que chegou ao limite. E foi mais além: “A ideia de furar o teto de gastos existe, qual o problema?”

SINAL AMARELO

Apesar do clima tenso no Planalto, o presidente Bolsonaro sabe que se Paulo Guedes deixar o governo nesse momento causará tumultos no mercado financeiro. No entanto, quem convive mais próximo ao presidente sabe que ele não acredita em crise duradoura. Para Bolsonaro, qualquer crise é passageira. Principalmente, se o provável substituto de Paulo Guedes tiver a benção dos setores produtivos. Até então, o nome mais viável é o do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Leia Também:  CONTA ALTA: Eleições municipais podem dificultar negociações do Governo com deputados e senadores. Confira outras informações na coluna JPM desta terça-feira (4)

SINAL VERMELHO

Quem poderá decidir o destino de Paulo Guedes, além do presidente Jair Bolsonaro, é o Supremo Tribunal Federal (STF). A Corte Suprema aguarda apenas a conclusão de uma investigação sobre participação de Guedes em supostas fraudes em fundos de pensão por meio da gestora da qual ele era sócio antes de assumir o cargo no governo. De qualquer forma, o STF vai levando. Por enquanto Paulo Guedes é beneficiado pela blindagem institucional inerente à posição de ministro de Estado.

HIPANDO

O ex-presidente Lula esteve ontem nos assuntos mais comentados nas redes sociais.  Em seu perfil no Twitter, ele recordou o aniversário de Fidel Castro. O ex-ditador cubano completaria 94 anos.  O ex-presidente escreveu: “Esta noite milhões de crianças dormirão na rua, mas nenhuma delas é cubana”. Lula ainda acrescentou, “Fidel hoje completaria 94 anos. Ele se foi, mas suas ideias por um mundo mais justo e igualitário permanecem vivas”.  Na postagem o ex-presidente acrescentou fotos com Fidel. O ex-ditador morreu em 2016, aos 90 anos. Muitos elogiaram Lula. Outros tantos desceram o sarrafo. Como dizem os internautas, Lula “hipou”.

PORTA DOS FUNDOS

Não é a primeira vez que Lula é criticado nas redes sociais. Em maio o ex-presidente disse em uma live que o coronavírus veio para mostrar a importância do Estado na administração pública. “Ainda bem que a natureza, que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus. Porque esse monstro está permitindo que os cegos enxerguem, que os cegos comecem a enxergar, que apenas o Estado é capaz de dar solução a determinadas crises”. Depois de levar sarrafo de todos os lados, Lula se desculpou e saiu de fininho pelas portas dos fundos.

Leia Também:  Gilmar Mendes:Lava-Jato é um grupo de trabalho, mas virou partido político. Confira outras informações na coluna JPM desta quarta-feira (24)

A SALVAÇÃO

Com as exportações aquecidas, o agronegócio é um dos únicos setores da economia brasileira que tem conseguido bom desempenho em meio à pandemia do novo coronavírus. Reflexo disso está na soja, item mais exportado pelo País. Agricultores estão antecipando a venda do grão que só vai ser colhido no começo de 2022, um fato inédito. O Brasil se prepara agora para o plantio da safra 2020/21 e, no caso da soja, a colheita está prevista para o início do ano que vem. Isso significa que os agricultores estão antecipando as vendas do produto de uma safra à frente.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA