Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

Bastidores da República

SEM CHANCE: Bolsonaro diz que não se envolverá na eleição de 2020 se Aliança não for criada. Confira outras informações na coluna JPM desta quarta-feira(15)

DIFICULDADE

O partido  Aliança pelo Brasil precisa do apoio de 492 mil assinaturas até abril para participar do pleito municipal Diante da falta de perspectivas de crescimento do partido, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira (15) que não subirá no palanque eleitoral de candidatos que não sejam filiados ao Aliança pelo Brasil,partido que pretende criar. Nesta semana, foi iniciado um mutirão para colher apoios, com foco no Nordeste.

SEM POLÍTICA

Bolsonaro disse que não discutirá política caso a sua legenda não lance nomes. Ele já deixou bem claro já afirmou que a chance é de “1%” de a nova sigla ser viabilizada a tempo.Não discuto política. Se meu partido não tiver candidato, não vou me meter em política municipal no corrente ano, ponto final”, afirmou.O partido precisa do apoio de 492 mil assinaturas até abril para participar do pleito municipal. Nesta semana, foi iniciado um mutirão para colher apoios, com foco no Nordeste.

SEM RECUO

Ainda falando do presidente, ele anda dizendo que  que o Brasil é o “país dos subsídios” e que deseja colocar um “ponto final nisso aí”, mas não recuou sobre o governo avaliar subsídio a contas de energia de templos religiosos.Ele recebe nesta quarta o presidente da bancada evangélica, deputado Silas Câmara (Republicanos-AM), favorável ao benefício às igrejas.

Leia Também:  CARNAVAL : Deputados e senadores tiram folga de uma semana e meia.Confira outras informações na coluna JPM desta sexta-feira (1º)

BOMBA NA SECOM

Nesta quarta-feira, ganhou repercussão a noticia de que o chefe da Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República), Fabio Wajngarten, é sócio de um empresa e, por meio dela, recebe dinheiro de emissoras e de agências de publicidade contratadas pelo governo de Jair Bolsonaro. A Secom é responsável por administrar a distribuição de verba para propagandas do governo. Em 2019, a Secretaria gastou gastou R$ 197 milhões em campanhas

ADIAMENTO

No meio jurídico circula a informação de que o  presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Dias Toffoli, deve adiar por seis meses a implementação da figura do juiz de garantias. A medida está prevista na lei anticrime, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, que entra em vigor no dia 23 de janeiro. A maioria dos ministros do STF – inclusive o próprio Toffoli – apoia a criação da lei.

AGORA SIM
Após recesso, os deputados da Câmara Legislativa do Distrito Federal (COLD) retornarão ao serviço com sistema de trabalho modernizado. A próxima sessão será feita por meio de um painel eletrônico, instalado no plenário da Casa. Agora, os parlamentares precisarão de uma senha individual e de biometria para votação de projetos.

ALVO DE NOVO

Leia Também:  Bolsonaro assina MP para incentivar regularização de dívidas junto à União

Mais uma polêmica. O Ministério Público Federal (MPF)  está questionando decisão do ministro Gilmar Mendes, que concedeu habeas corpus, rejeitado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), a Luiz Arthur Andrade Correia, envolvido em suposto esquema de lavagem de dinheiro com o empresário Eike Batista. As informações foram divulgadas pela Secretaria de Comunicação Social da Procuradoria-Geral.

MAIS INVESTIMENTOS

Após o período de ajustes estruturais, com as reformas administrativa e previdenciária, além da redução de cargos e custeio da máquina, o governo se prepara para um 2020 com mais investimentos públicos. A estimativa é aplicar 8,7 bilhões de reais. O valor é cerca de 340 por cento maior ao que de 2019.

AÇÃO DA PF

Policiais federais  fizeram hoje (15) uma operação para cumprir 17 mandados de prisão e 26 de busca e apreensão contra suspeitos de tráfico de armas nos estados do Rio de Janeiro, Paraná e de Mato Grosso do Sul. Até o início da tarde, haviam sido cumpridos dois mandados de prisão e 11 de busca e apreensão, cumpridos na região de Foz do Iguaçu (PR) e Mundo Novo (RS).

JPM – João Pedro Marques é advogado e jornalista com escritórios em Brasília e Mato Grosso.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Bastidores da República

Ciro Gomes compra briga com Bolsonaro ao chamá-lo de “boçal genocida”

COISAS DA POLÍTICA

O ex-candidato à presidência, Ciro Gomes, deu a largada para um novo bate-boca com o presidente Jair Bolsonaro. Ontem, durante entrevista ao programa Pânico, Ciro afirmou que considera Bolsonaro “um boçal genocida”, se referindo à gestão durante a pandemia do novo coronavírus no Brasil. “Quando a gente tem esses surtos, temos que nos guiar pela ciência, não pela superstição, ou palpiteiro”, disparou. Só lembrando que o Brasil deu início às eleições 2020. Coisas da política.

O FUTURO PELO PRESENTE

Hoje estou em dúvida se ainda devo continuar vez ou outra elogiar o governo de Jair Bolsonaro, não menos prezo o que já fizeram e os problemas que estão passando. Me entristece é a virada que estão dando no governo, de liberal para populista, sei que ele é popular, mas a bandeira de campanha foi liberal, agora quer criar um programa para ampliar o assistencialismo ao ponto de consumir 60 bilhões anuais, incluindo mais 30 milhões de pessoas neste sistema, é mais que populismo, é oportunismo, depois que viram a popularidade dele crescer por que deu 600 reais para 60 milhões de brasileiros,o plano de privatizações e austeridade foi para o brejo, agora o caminho é arrecadar mais para cobrir estes custos.

O FUTURO PELO PRESENTE (2)
Ele jogou para o congresso resolver e dizer de onde vem o dinheiro para sustentar tal programa, o Congresso é o pior lugar para isso, para aprovarem tudo passa por negociação, e negociação tem custos. Acho que o Bolsonaro vai perder o bonde da história, ele deveria tocar o seu governo até o fim do mandato e passar o comando para outro. Isso cheira o segundo mandato do FHC, que negociou o Brasil para ficar mais um mandato e terminou mal o governo dele, tudo indica que o segundo mandato do Bolsonaro terá o mesmo fim.

Leia Também:  Bolsonaro: invasão de terra tem que ser tipificada como terrorismo

SERÁ O MENDONÇA?

A Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure) pediu ao presidente Jair Bolsonaro a indicação do ministro da Justiça e da Segurança Pública, André Mendonça, para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) que ficará vago após a aposentadoria do atual decano da Corte, Celso de Mello, antecipada para o próximo dia 13. Mendonça é pastor presbiteriano e ligado à Anajure. Bolsonaro até que balançou, mas prometeu analisar.

EFEITO BOLSONARO

O número de policiais civis, militares e de membros da ativa e da reserva das Forças Armadas que se candidataram a prefeito e vice-prefeito neste ano é o dobro do que o registrado nas eleições municipais de 2016. São 388 candidatos a prefeito, contra 188 que disputaram o Executivo municipal há quatro anos, antes da eleição do presidente Jair Bolsonaro e da entrada de integrantes do Exército no governo federal.

CASERNA DE OLHO

A cúpula do Exército determinou que todos os comandantes de área fiscalizem o uso de uniformes, símbolos e postos por candidatos militares a vereador, a vice-prefeito e a prefeito. Um dos casos constatados pelo comando da Força é o da tenente-coronel da ativa Andréa Firmo (Republicanos), candidata a vice-prefeito do Rio na chapa do atual prefeito, o bispo Marcelo Crivella (Republicanos). Em duas imagens divulgadas pela campanha, Andréa aparece fardada e com a boina azul das Nações Unidas.O Comando do Exército considerou o uso da farda um “total descumprimento da norma”.

ARQUIVO MORTO

A Procuradoria-Geral da República (PGR) decidiu arquivar uma apuração preliminar contra o presidente Jair Bolsonaro e dois filhos dele, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), relacionada ao caso em que o Facebook derrubou uma rede de fake news e perfis falsos ligadas ao PSL e a funcionários dos gabinetes do presidente da República. A decisão foi do vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros. Ele alegou ausência de fatos concretos. Tá explicado.

Leia Também:  Bolsonaro: sem crédito suplementar pagamento de BPC será suspenso

DEU EM NADA

O juiz da Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal Criminal de Brasília, revogou a prisão dos hackers Thiago Eliezer Martins Santos, conhecido como “Chiclete”, e Walter Delgatti Neto, chamado de “Vermelho”. Ambos foram presos no âmbito da Operação Spoofing, que apurou interceptação de mensagens de autoridades, dentre elas o ex-juiz federal e ministro da Justiça Sergio Moro, o procurador da República Deltan Dallagnol, ex-coordenador da Lava-Jato de Curitiba e até do presidente da República, Jair Bolsonaro.

CRUZADO DE ESQUERDA

Dois meses após o Congresso Nacional impedir o avanço do governo em utilizar parte do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) no financiamento de um programa social de transferência de renda, o Executivo fará nova investida para que uma porcentagem do dinheiro destinado ao fomento do ensino seja aplicado. Desta vez, a justificativa é tirar do papel o Renda Cidadã. A proposta do governo repercutiu mal no meio político, no mercado e entre especialistas em contas públicas e em educação. Por conta disso, o governo começou a apanhar da mídia.

MOTIVO PARA DISCUSSÃO

Mesmo diante de uma inédita maioria de candidatos negros registrada na eleição deste ano, o caminho para um maior protagonismo dos candidatos pretos e pardos no Brasil ainda parece distante. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, metade das chapas que vão disputar as prefeituras das 5.570 cidades do país é formada apenas por brancos como candidatos a prefeito e a vice-prefeito. Das 18,9 mil chapas registradas, 8.943 tinham apenas brancos.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA