Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

Bastidores da República

Ministros do Supremo Tribunal Federal, OAB e líderes do Senado defendem isolamento social

Argumento forte A situação politica no país está muito confusa. Várias autoridades se manifestaram nesta segunda-feira (30) em defesa do isolamento social como forma de combate ao novo coronavírus (Covid-19).O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, afirmou nesta segunda-feira que o isolamento social é importante neste período para reduzir as contaminações. Aspas “Tudo […]

Argumento forte

A situação politica no país está muito confusa. Várias autoridades se manifestaram nesta segunda-feira (30) em defesa do isolamento social como forma de combate ao novo coronavírus (Covid-19).O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, afirmou nesta segunda-feira que o isolamento social é importante neste período para reduzir as contaminações.

Aspas

“Tudo o que tem ocorrido no mundo leva a crer da necessidade do isolamento, que é para puxar a diminuição de uma curva [do número de casos] e ter atendimento de saúde para população em geral. Momento de solidariedade no nosso país e no mundo todo”, afirmou Toffoli.

Aliados

Toffoli deu as declarações em uma transmissão ao vivo feita em uma rede social pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz.Na mesma transmissão, Felipe Santa Cruz também defendeu o isolamento social: “Vamos ficar em casa, com serenidade, e tudo isso vai passar.”

Defesa

Também nesta segunda, o ministro Gilmar Mendes, do STF, ressaltou que prefeitos e governadores estão tomando decisões alinhadas às determinações do Ministério da Saúde de isolamento social.“É verdade que temos essas disputas, mas, a mim, parece que a orientação do Ministério da Saúde é inconfundível com as posições que estados e municípios vem defendendo”, disse, em defesa da atuação do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Pensando

Já na contra-mão, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que cogita assinar um decreto para permitir que todas as profissões possam voltar a trabalhar. O presidente tem sido crítico a medidas restritivas impostas por governadores em alguns Estados em razão da pandemia do novo coronavírus.

Previsão

Segundo ele, a paralisação de comércio e da circulação de pessoas causará um grande impacto na economia, o que pode levar a uma onda de desemprego e falta de sustento para trabalhadores informais.

Leia Também:  Deputado federal de MT abre mão de aposentadoria especial do Congresso
Recado

Segundo lideranças politicas, o passeio do presidente Jair Bolsonaro pelo comércio de Brasília, ontem, teve objetivo claro: contrariar o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que tem recomendado o confinamento. Hoje, deve haver mais um round.

Isolado

Agora mais uma: Bolsonaro está irritado com a postura do ministro da Justiça, Sergio Moro, na crise do coronavírus. No final de semana, o presidente reclamou a interlocutores que Moro é “egoísta” e não está atuando para defender as suas posições no enfrentamento às medidas restritivas dos estados e municípios como controle da COVID-19.

Bondade

O Senado vota hoje (30) o pagamento de um auxílio emergencial por três meses, no valor de R$ 600, destinado aos trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa. O presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), havia confirmado a data da votação em postagem no Twitter.

Pedido petista

Olha ele ai . O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva usou suas redes sociais, nesta segunda-feira (30) para se posicionar sobre a pandemia de coronavírus que afetou o Brasil. O ex-presidente passou 11 dias na Europa antes da crise estourar nos países. Segundo ele, o governo precisa liberar dinheiro para a população, que deve ficar em casa

Leia Também:  Carlos Fávaro deve assumir essa semana vaga de Selma no Senado
Economia

Devido à pandemia de covid-19, o mercado financeiro espera por retração da economia brasileira este ano. De acordo com o boletim Focus, do Banco Central (BC), a previsão de queda do Produto Interno Bruto (PIB) – soma de todos os bens e serviços produzidos no país – é de 0,48%. Na semana passada, a estimativa era de crescimento de 1,48%. Essa foi a sétima redução seguida na projeção.

*O boletim semanal do BC traz as projeções de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos nos próximos anos. As previsões do mercado para o PIB de 2021, 2022 e 2023 continuam em 2,50%.

*Já a cotação do dólar deve fechar o ano em R$ 4,50, a mesma previsão da semana passada. Para 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 4,30.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Bastidores da República

ELEIÇÕES 2022: Lula e Moro já trocam críticas e insultos

O eleitor já pode ter uma ideia de como será o a disputa eleitoral. Nesta quarta-feira(19) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro (Podemos) trocaram xingamentos. Em entrevista a sites mais ligados à esquerda, Lula chamou o adversário de “canalha”, que respondeu usando o mesmo termo nas redes sociais. Ambos também usaram o termo “quadrilha”. Lula ficou 1 ano e 7 meses preso pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do triplex. A ordem de prisão, determinada em abril de 2018, foi assinada pelo então juiz Sergio Moro. A defesa de Lula afirma que a Lava Jato “atuava para condenar” o ex-presidente. “Eu tive sorte do povo brasileiro que me ajudou a provar a farsa que foi montada contra mim em vida. Consegui desmontar o canalha que foi o Moro no julgamento dos meus processos, o Dallagnol, a mentira, o fake news, o PowerPoint da quadrilha. Tudo isso eu consegui provar que quadrilha eram eles”, disse Lula. Moro rebateu o ex-presidente lembrando os desvios de dinheiro público na Petrobras e disparou: “Você será derrotado”.

PROVOCACÃO

Bolsonaro buscou minar participação social por decretos

Em tom considerado bem divertido, o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a ironizar o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), com quem deve disputar a eleição presidencial em outubro deste ano.A apoiadores na saída do Palácio da Alvora, em Brasília (DF), nesta quarta-feira (19), ele reclamou das multas que recebeu por descumprir norma estadual sobre o uso de máscara por conta da pandemia de Covid-19.“Recebi uma multa sem máscara num cemitério de Guaratinguetá. Nove multas do ‘calcinha apertada’”, disse, usando o termo a que costuma se referir a Dória.
Em seguida, Bolsonaro acusou o governador de poupar apenas uma pomada para assaduras do aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), de competência estadual.
“Ele aumentou o ICMS de tudo, menos do Hipoglós”, zombou, arrancando risadas dos apoiadores que o esperaram no local.

DEU NA MÍDIA

O ano eleitoral chegou, mais da metade de janeiro já se foi e pouca diferença se vê hoje em relação ao cenário de meados do ano passado na corrida pelo Palácio do Planalto. Intensamente polarizada e com potencial para sacudir o Brasil, a disputa eleitoral de 2022 vive, de agora até o fim de março, um momento decisivo para os comandos das campanhas. Em abril, numa espécie de grande paredão, tal qual no BBB, programa mais assistido da TV brasileira atualmente, alguns candidatos devem voltar para casa. O futuro deles depende não apenas da capacidade de se viabilizarem, mas das perspectivas de que a eleição tenha de fato dois turnos.

Leia Também:  Comissão Diretora aprova declaração de perda do mandato de Juíza Selma

CANDIDATOS

Quem quer saber de eleição? Por enquanto, só os políticos

Com prazo para que suas candidaturas decolem e ameacem a polarização entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL) estão nomes como Ciro Gomes (PDT), João Doria (PSDB), Rodrigo Pacheco (PSD), Simone Tebet (MDB) e Sergio Moro (Podemos). Além deles, estão colocados André Janones (Avante), Aldo Rebelo (sem partido), Luiz Henrique Mandetta (União Brasil), Luiz Felipe D’Ávila (Novo) e Leonardo Péricles (UP). Imagina-se que metade deles fique pelo caminho em abril.

CONHECIMENTO

A notícia dos bastidores políticos, ficou por conta da Advocacia-Geral da União (AGU)que defendeu no Supremo Tribunal Federal (STF) que é constitucional o aumento no valor do fundo eleitoral que vai financiar as campanhas deste ano. O órgão ainda pediu à Corte que rejeite a ação apresentada pelo Novo que prevê a revogação da aprovação do fundo eleitoral.”Não se apresenta razoável partir da premissa de que a destinação de recursos para campanhas eleitorais, definida por critérios legais, estaria a depender de um sarrafo quantitativo para sabermos se atende ou não ao princípio constitucional da moralidade. Os critérios para a distribuição dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha estão delineados em lei”, disse a AGU.

MAIS VOTADO?

Por que Queiroz sacou da cartola a candidatura a deputado

A disputa eleitoral já está bem acirrada. Investigado no inquérito das ‘rachadinhas’, o policial militar da reserva Fabrício Queiroz quer tentar uma vaga na Câmara dos Deputados nas próximas eleições. Embora ainda não saiba por qual partido concorrerá, ele sonha ser apoiado pela família do presidente Jair Bolsonaro. “Se eu tiver o apoio deles, com certeza serei o deputado mais votado do Rio de Janeiro”, afirmou Queiroz, em entrevista ao Estadão. Ele observou, porém, que não conversou com nenhum dos integrantes do clã Bolsonaro sobre a intenção de concorrer em outubro. A avaliação entre aliados de Bolsonaro é de que a candidatura poderia gerar desgaste para a campanha à reeleição do presidente.

MAIS UM…

O secretário especial de Cultura Mario Frias, de 50 anos, testou positivo para covid-19, informou a pasta nesta quarta-feira (19/1), por meio das redes sociais. Ex-ator já declarou que não se vacinou contra a doença e que também não pretende se imunizar. Segundo a nota da Secult, o ator está “sem sintomas e vai seguir em casa, onde cumprirá protocolo de recuperação indicado pelo Ministério da Saúde”.Frias é o quarto membro do Executivo a testar positivo para a doença este mês. A ministra Damares Alves, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, foi a primeira a declarar ter contraído o vírus, no último dia 12.

Leia Também:  Juíza Selma custou mais de R$ 140 mil ao Senado desde sua cassação

DETERMINACAO

Lewandowski cobra Estados e DF sobre vacinação infantil

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou, nesta quarta-feira (19), que os estados e o Distrito Federal se manifestem em até 48 horas sobre as supostas irregularidades apontadas pela União em relação à aplicação de vacinas contra Covid-19 em crianças.O Ministério da Saúde declarou ter tido acesso a dados considerados “extremamente preocupantes” sobre a utilização dos imunizantes em crianças e adolescentes. A Advocacia-Geral da União (AGU) informou ao STF que mais de 20 mil crianças foram vacinadas de forma irregular, com doses para adultos ou com imunizantes que ainda não foram autorizados para o público infantil.

CRONOGRAMA RURAL

Em Comunicado Técnico, a CNA esclarece que o recadastramento será realizado a cada três anos. Para o primeiro ciclo (2022 a 2023), serão aceitas a autodeclaração do consumidor relativa ao cumprimento do licenciamento ambiental e a outorga pelo direto do uso dos recursos hídricos. O cronograma do primeiro processo de revisão cadastral deverá ser divulgado pela distribuidora de energia por meio de mensagem inserida na fatura de energia ou em sua página na internet, junto aos Conselhos de Consumidores locais. A Confederação reforça que, caso o produtor rural perca o prazo ou não atenda aos critérios de recadastramento, o benefício tarifário será cancelado e a classificação da unidade consumidora será alterada.

ACESSO CONCORRIDO

Descubra quais são 5 bancos digitais mais populares do Brasil – 1 Bilhão Educação Financeira

Os bancos digitais aumentaram o acesso da população brasileira a produtos financeiros, com destaque para a parcela de baixa renda. Atualmente 19% dos brasileiros têm conta em bancos digitais e 30% estão nas classes D e E. É o que revela pesquisa divulgada pelo Instituto Locomotiva, feita com 1.519 brasileiros, com 18 anos de idade ou mais, entre 27 de outubro e 7 de novembro do ano passado. O presidente do Locomotiva, Renato Meirelles, disse hoje (19) à Agência Brasil que, antes da pandemia de covid-19, o banco digital era o segundo banco da classe mais rica e o substituto da conta universitária. “Os bancos digitais falavam, praticamente, para os mais ricos. Tanto que, para depositar dinheiro no banco digital, era preciso fazer uma transferência de outro banco. Então, ele [banco digital] era, basicamente, para quem já tinha conta.”

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA