Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

Bastidores da República

Generais temem que decisão de Edson Fachin beneficie extremistas

ZIPER NA BOCA

Alexandre Manfrim

Mesmo descontentes com a anulação das condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva perlo STF, generais da reserva avaliam que o novo entendimento pode beneficiar “extremistas” das duas vertentes, tanto de esquerda quanto de direita, mas ponderaram que, no momento, não cabem mais manifestações públicas sobre o caso por parte de comandantes da ativa, como ocorreu em abril de 2018. Na época, antes do julgamento de um habeas corpus de Lula pelo Supremo, o então comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, publicou mensagem no Twitter que jogou pressão sobre ministros da Corte. No entanto, o presidente do Clube Militar, general Eduardo José Barbosa, divulgou nota em que critica a decisão do ministro Edson Fachin de anular as condenações do ex-presidente Lula.

ERA DAS REDES

As redes sociais estão tomando o lugar dos veículos de comunicação oficial. Um post no Twitter ou Instagram, por exemplo, passa feito um furacão provocando estragos ou, quem sabe, contribuindo com índices de popularidade. E não estou falando apenas do alto escalão do Executivo e Legislativo. Até ministros do STF estão usando dessas ferramentas para exprimirem opiniões, críticas e até anteciparem comunicados. Não é à toa que o número de seguidores das principais autoridades do país segue em disparada.  Muitos querem se informar. A maioria quer mesmo é ver o circo pegar fogo.

Leia Também:  'Tentei conciliar o trabalho com meu bebê', dizem mães demitidas na pandemia

PAU-DE-ARARA

Ueslei Nascimento

Por falar em redes sociais, foi por meio do Twitter que o presidente Jair Bolsonaro se pronunciou nesta quarta-feira sobre os últimos eventos políticos. Na mira, o ex-presidente Lula, é claro. Na segunda-feira o ministro Edson Fachin, do STF, anulou as condenações de Lula na Lava-Jato. Por isso, Lula voltou a ser elegível e alvo de críticas. O que é bem natural. Para cutuca-lo com vara curta, Bolsonaro publicou um vídeo antigo em que menciona casos de corrupção nos governos do PT. Nas imagens, Bolsonaro diz que se houvesse algum caso no seu governo, ele colocaria o eventual ministro “no pau-de-arara”.

NA PONTA DA LÍNGUA

Ricardo Stuckert

Em respostas, Luiz Inácio Lula da Silva disse que “este país não tem governo”. A afirmação foi feita pelo ex-presidente em seu pronunciamento à imprensa na quarta-feira. Sobrou até para o tema pandemia. Lula disse que irá se vacinar, e fará propaganda para a imunização. Não perdeu a chance e também alfinetou Bolsonaro. “Não siga nenhuma ordem imbecil do presidente da República”, disse ele ao dizer que Bolsonaro tem posicionamento negacionista. A briga promete novos capítulos.

JOGO VIROU

Roberto Jayme

De investigadores, membros da Operação Lava Jato passaram a investigados. Quem imaginaria isso? Para tentar desmantelar, o Ministério Público Federal (MPF) deu o primeiro passo na ofensiva jurídica prometida no final de fevereiro pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, contra o inquérito aberto no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para investigar procuradores que integravam a força-tarefa. O MPF pegou carona em um habeas corpus apresentado mês passado pelo ex-procurador da força-tarefa de Curitiba, Diogo Castor, além de alegar que a investigação viola o sistema acusatório e as prerrogativas dos membros do Ministério Público Federal.

Leia Também:  Em 24 horas, MT registra 10 mortes e 446 novos casos de covid-19

DE CARONA

Marcelo Camargo

O ex-presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) pegou carona na volta do Lula ao cenário político. Sem visibilidade na mídia, Maia também se valeu das redes sociais para dizer que Lula é muito melhor do que Bolsonaro. Ficou meio parecido a briga de compadres, mas até que rendeu uma mídia. Mesmo sendo adversário histórico de Lula, Maia ressaltou a capacidade do petista de dar uma boa largada para as eleições de 2022. “Um tem visão de país; o outro só enxerga o próprio umbigo”, alfinetou Maia.

RELAÇÃO DIFÍCIL

Lógico que ninguém vai esperar elogios de Rodrigo Maia a Jair Bolsonaro. Nos últimos dois anos, um como presidente da Câmara, outro, como presidente da República, travaram embates pesados. Por conta da postura de Maia, de barrar várias iniciativas do presidente por meio de projetos enviados ao Congresso, Bolsonaro o elegeu como inimigo. E jogou todo o peso do governo para derrotar o candidato de Maia à presidência da Câmara, o deputado Baleia Rossi (MDB). Como todos sabem, o vitorioso foi Arthur Lira (PP), com a chancela do Planalto.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Bastidores da República

Brasil quer mais investimentos internacionais diz Bolsonaro na ONU

Em discurso na 76ª  Assembleia Geral da ONU , nesta terça-feira, o presidente  Jair Bolsonaro buscou atrair investidores internacionais .No início da fala, o presidente destacou que seu objetivo  era mudar a imagem internacional do país. “Venho mostrar aqui um Brasil diferente daquilo publicado em jornais ou visto em televisões. Estamos há 2 anos e 8 meses sem nenhum caso de corrupção”, frisou.Bolsonaro disse que o país está promovendo o modal ferroviário e outras ações dentro do seu programa de parceria de investimentos, e que já foram firmados mais de US$ 6 bilhões em contratos privados para novas ferrovias.

AVANÇOS

Na ONU, Bolsonaro defende tratamento precoce contra Covid - ISTOÉ Independente

O presidente lembrou que em agosto o governo também instituiu um novo marco legal para o setor, permitindo que a construção de novas ferrovias seja feita por meio de uma autorização simplificada.“Em poucos dias, recebemos 14 requerimentos de autorizações para novas ferrovias com quase US$ 15 bilhões de investimentos privados.Como reflexo, menor consumo de combustíveis fósseis e redução do custo Brasil, em especial no barateamento da produção de alimentos”, complementou

ADESÃO INTERNACIONAL

Bolsonaro cobrou durante seu discurso o engajamento dos países ricos no tema. “Por ocasião da COP-26, buscaremos consenso sobre as regras do mercado de crédito de carbono global. Esperamos que os países industrializados cumpram efetivamente seus compromissos com o financiamento de clima em volumes relevantes”, disse ele, no seu pronunciamento.

O PACIFICADOR

Dieese: crise mostra que Paulo Guedes não tem projeto econômico, só 'reformas' - Rede Brasil Atual

Em Brasília, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse  estar confiante em solução para possibilitar a aprovação da PEC dos Precatórios, viabilizando o espaço no teto de gastos do próximo ano para acomodar o pagamento do Auxílio Brasil – o novo programa social do governo federal.“O espaço fiscal está na PEC dos Precatórios que havíamos enviado e naturalmente evoluções vão acontecer pelo processo político. “Estou muito confiante no Congresso e no Supremo Tribunal Federal de que vamos conseguir manter o compromisso com a responsabilidade social”, completou.

Leia Também:  Em 24 horas, MT registra 10 mortes e 446 novos casos de covid-19

RUÍDOS

Sabatina de André Mendonça para o STF provoca impasse no Congresso | VEJA

Nos bastidores políticos continuam as articulações em defesa da nomeação de André Mendonça a uma das cadeiras do STF (Supremo Tribunal Federal), importantes líderes evangélicos subiram ainda mais o tom contra o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) que tem travado a sabatina do ex-ministro de Jair Bolsonaro.Os evangélicos redobraram a ofensiva na última semana. Em mensagens que fizeram chegar ao gabinete de Alcolumbre, líderes religiosos dizem que vão se mudar para o Amapá em 2022 para impedir a reeleição do senador. E que podem inclusive lançar um candidato evangélico.

ASPAS DE FUX

Fux exonera secretário que pediu para a Fiocruz reservar vacinas para o STF | CNN Brasil

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, disse que “é importante que a Corte esteja completa”.A chegada do 11° ministro à Corte ainda não aconteceu por um impasse político. É que o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), ainda não marcou a sabatina do indicado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), André Mendonça.

 DEU NA MÍDIA

Ministério Público Eleitoral pede investigação sobre ataques ao TSE | Poder360

Em preparação para as eleições de 2022, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) realiza na próxima quinta-feira, 23, uma reunião com representantes de plataformas digitais, como Youtube, Twitter, Instagram e Facebook. . Esse será o terceiro encontro do grupo. Em meados de agosto, o ministro determinou a suspensão de repasses financeiros depois de um pedido da Polícia Federal (PF), que investiga, além da disseminação das chamadas fake news, fatos que possam configurar abuso de poder econômico e político, bem como uso indevido dos meios de comunicação social.

Leia Também:  Governo e Congresso precisam de entendimento para aprovar propostas e analisar vetos

ECONOMIA

A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE) revisou nesta terça-feira, 21, as perspectivas para o desempenho da economia do Brasil em 2021 e 2022. Para este ano, a entidade elevou a estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) para 5,2%, ante previsão de 3,7% em maio. Para o ano que vem, no entanto, a projeção de expansão das atividades recuou para alta de 2,3%, corte de 0,2 ponto percentual na previsão de quatro meses atrás.

EXPORTAÇÕES

Como exportar? 7 regras de exportação que você precisa conhecer

As empresas brasileiras interessadas em ampliar os seus negócios para o mercado internacional agora têm mais algumas ferramentas para detectar onde há demanda e elementos facilitadores para cada segmento.  A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), em parceria com entidades setoriais e a Euromonitor International, serviço de consultoria que oferece inteligência estratégica customizada, realizou 15 estudos de oportunidades de mercado – 13 sobre setores de exportação de bens e dois de serviços.Por exemplo, os levantamentos com foco em exportação de bens abrangem mercados que somaram cerca de US$ 21,6 bilhões em importações em 2020. E, desse montante, os produtos brasileiros representam cerca de US$ 325,6 milhões, ou seja, apenas 1,5%.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA