Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

BASTIDORES DA REPÚBLICA

Bolsonaro promete “revelar bomba” em live desta quinta-feira

DIA DE LIVE

O presidente Jair Bolsonaro mantém a postura de ataque a países que, segundo ele, importam madeira ilegal do Brasil, mas acusam seu governo de permitir o desmatamento da Amazônia. Ele prometeu divulgar, hoje, na live que faz todas as quintas-feiras, o nome das nações que comprariam o produto de forma irregular. Na terça-feira, durante a cúpula do Brics (bloco que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), ele já tinha mencionado que divulgaria a lista. A live semanal do presidente está sendo aguardada com grande expectativa. Há quem aposte em blefe!

DESTINO DE BOLSONARO

Após a derrota da antipolítica nas urnas do primeiro turno e o fortalecimento de partidos políticos tradicionais, assessores do presidente Jair Bolsonaro passaram a defender nos bastidores que ele se filie a uma legenda de olho em estrutura para a disputa de 2022. Em 2018, Bolsonaro se elegeu filiado ao PSL – mas brigou com a sigla e saiu da legenda. Anunciou que fundaria um novo partido, o Aliança, mas, até agora, a ideia na saiu do papel. Para se preparar com foco em 2022, Bolsonaro pode integrar alguma legenda já existente – e os partidos do Centrão não estão descartados. Uma das apostas, aqui em Brasília, é a filiação do presidente Bolsonaro ao PP ou PTB.

PAÍS TRAVADO

Pelo andar da carruagem o Brasil só vai deslanchar mesmo após fevereiro de 2021. Pra piorar, parada por causa do período eleitoral, a pauta de votações de medidas econômicas de grande impacto e consideradas urgentes pelo governo tem grande chance de ser destravada também a partir de fevereiro de 2021, avaliam membros do Ministério da Economia. Com isso, o Congresso terminaria o ano sem votar propostas que retiram amarras do Orçamento e abrem espaço para a criação de um novo programa social. Segundo turno das eleições, sucessão da Mesa Diretora no Congresso e a crise elétrica no Amapá são apontadas como os três principais entraves.

Leia Também:  Em fuga, homem provoca acidente e deixa R$ 14 mil espalhados no asfalto

NA EXPECTATIVA

O próprio ministro da Economia, Paulo Guedes, já anunciou que não espera grandes respostas do Congresso até fevereiro próximo. Segundo ele, as reformas tributária e administrativa não têm chance de prosperar neste ano. Para Guedes, há espaço apenas para textos “amenos”, mais técnicos e que não geram grande disputa. Entre as medidas possíveis, estão a Lei de Falências e marcos regulatórios de infraestrutura, o que inclui o projeto de incentivo à navegação de cabotagem. A expectativa da Economia e de líderes partidários é que seja aprovada a lei que traça as diretrizes para a elaboração do Orçamento de 2021.

DADO ASSUSTADOR

O Brasil teve uma alta de 4% nos assassinatos nos primeiros nove meses deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. É o que mostra o índice nacional de homicídios criado pelo site G1, com base nos dados oficiais dos 26 Estados e do Distrito Federal. No período, foram registradas 32.298 mortes violentas, contra 31.022 no mesmo período do ano passado. Ou seja, 1.276 mortes a mais. O aumento de mortes acontece mesmo durante a pandemia do novo coronavírus, que fez com que estados adotassem diversas medidas de isolamento social em grande parte do ano. Ou seja, houve alta na violência mesmo com menos pessoas nas ruas.

Leia Também:  Nova MP libera R$ 228 mi para ações anti-covid do Ministério da Cidadania

LÁ VEM O TREM

A Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO), ligando a cidade de Mara Rosa, em Goiás, até Água Boa, em Mato Grosso, começará a ser construída em abril. A previsão de conclusão será de cinco anos. A informação foi confirmada ao senador Wellington Fagundes (PL-MT), presidente da Frente Parlamentar de Logística e Infraestrutura (Frenlogi), e pelo presidente da Valec Engenharia, André Kuhn. A Valec será a responsável técnica pela obra.

CENTRO LOGÍSTICO

Mato Grosso caminha para ter um dos maiores centros logístico do país. Durante solenidade de posse do novo diretor-presidente da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, confirmou que já trabalha para estender os trilhos da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste, de Água Boa até Lucas do Rio Verde. Esse projeto, segundo ele, está dentro do contexto da concessão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, que liga o Porto de Ilhéus (BA) à Ferrovia Norte-Sul, em fase de implantação.

BAIXOU O NÍVEL

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), respondeu por meio das redes sociais nesta quinta-feira (19/11) aos xingamentos do prefeito do Rio de Janeiro e candidato à reeleição, Marcelo Crivella (Republicanos). Segundo o tucano, Crivella “se apequena” ao usar palavrões e preconceito para se referir a um governador. Na noite de ontem (18), durante reunião do partido, Crivella chamou Doria de “vagabundo” e “viado”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Bastidores da República

Quase na véspera do segundo turno, aumento no preço dos combustíveis não é bem-vindo

 NA HORA ERRADA

Quase na véspera do segundo turno das eleições em 57 cidades brasileiras, sendo 18 capitais, a Petrobrás anunciou aumento de 4% na gasolina e de 5% no diesel. Segundo a estatal, novos valores serão praticados na refinaria a partir desta quinta-feira (26). Para que ninguém culpe o governo pelo reajuste, a estatal deu explicações. O valor pago pelo consumidor final é composto por quatro fatores: preços do produtor ou importador de gasolina A; carga tributária, custo do etanol obrigatório; e margens da distribuição e da revenda. Tá explicado, mas veio na hora errada.

TÔ FORA

O presidente Jair Bolsonaro não comentou o reajuste dos combustíveis pela Petrobrás, mas tirou o corpo fora no caso do apagão no Amapá. O presidente ressaltou, porém, que apesar de “não ser competência ou atribuição” dele resolver o problema, dispôs de boa vontade para contribuir com a solução do problema. Enfim, o fornecimento de energia elétrica foi 100% restabelecido ainda ontem, com a energização do segundo transformador na subestação Macapá.

Leia Também:  Proposta veda penhora para quitação de dívidas tributárias da casa própria

FOCO NA SUCESSÃO

A eleição para a Mesa Diretora da Câmara vem causando certa movimentação nos bastidores políticos aqui de Brasília.  O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), atua para costurar um acordo capaz de permitir que ele faça seu sucessor no comando da Casa, em fevereiro do ano que vem. O parlamentar tem se reunido com partidos de centro e de esquerda, visando enfraquecer a candidatura de Arthur Lira (PP-AL), apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro. Mais aposta em nomes como os de Baleia Rossi (MDB-SP), Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e Marcos Pereira (Republicanos-SP).

ESVAZIAMENTO

Na contramão das articulações de Maia, a bancada do PP, partido de Arthur Lira, atua internamente para tentar esvaziar a agenda do atual presidente da Casa. Parlamentares contrários ao democrata pretendem agir para que nenhuma pauta importante seja votada até o fim deste ano. Com isso, Maia não conseguiria faturar com aprovações de reformas importantes, como a tributária.

NA ONDA

Com a possibilidade de segunda onda da Covid-19 no Brasil, tem muita gente querendo holofotes. Até o líder da minoria na Câmara, o deputado José Guimarães (PT-CE) protocolou um pedido de informações ao ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, para que o militar explique as medidas adotadas para o enfrentamento da segunda onda do novo coronavírus no país. O parlamentar lembrou que mais de 170 mil brasileiros já morreram por conta da pandemia, e que há sinais de aumento de infectados em várias regiões do país, indicando a chegada de uma nova onda de casos.

Leia Também:  Riva ficará preso em casa

DECISÃO AMPLA

O procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) manifestação defendendo que as decisões tomadas em ações civis públicas possam valer nacionalmente. Hoje, as sentenças se restringem ao território do órgão julgador. A discussão foi levantada em um recurso extraordinário com repercussão geral – isto é, o entendimento fixado pelos ministros no julgamento, que está previsto para 16 de dezembro, valerá como jurisprudência para novos casos. O relator é o ministro Alexandre de Moraes.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

LEGISLATIVO

EXECUTIVO

JUDICIÁRIO

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA