Enem é adiado e exame será realizado de 30 a 60 dias após o previsto nos editais

O exame este ano ganhou uma versão digital que aconteceria  entre 22 e 29 de novembro, enquanto a versão impressa de 1º e 8 de novembro. As novas datas ainda são desconhecidas

Por Giovana Giraldelli, da redação

De acordo com decisão do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e do MEC divulgada nesta tarde de quarta-feira (20), o Enem terá adiamento de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais.

O adiamento do exame se tornou uma das pautas de maior interesse dos internautas nessas últimas semanas. A decisão foi fruto da mobilização de diversos setores da sociedade, inclusive o Judicial que colocaram em cheque os efeitos da pandemia que assolam o país, como a suspensão de aulas presenciais e a acentuação da desigualdade social entre aqueles que realizam a prova; se por um lado tem quem possa estudar e continuar em isolamento, há uma parcela considerável que não tem um ambiente adequado em casa para estudar e nem acesso à internet.

O debate sobre o adiamento da prova passou pelo Congresso ainda ontem (19) em que o Senado votou favorável ao projeto adia Enem e o texto seguiu para avaliação da Câmara dos Deputados.

Em abril, foi divulgado pelo Inep o adiamento exclusivo da versão digital, passando dos dias 11 e 18 de outubro para os dias 22 e 29 de novembro. Enquanto isso, a versão impressa estava marcada para os dias 1º e 8 de novembro. As novas datas ainda são desconhecidas.

Abraham Weintraub, ministro da Educação, a priori se colocou contrário ao adiamento desde que a discussão em torno do assunto ganhou força e ele precisou se posicionar ao ser acionado por órgãos como a Defensoria Pública da União (DPU) e a União Nacional dos Estudantes (UNE).

Contudo, após a movimentação no Congresso de ontem (19), especialmente da colocação dos líderes de Centro, admite ter decidido positivo em adiar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

“Diante dos recentes acontecimentos no Congresso e conversando com líderes do centro, sugiro que o ENEM seja adiado de 30 a 60 dias. Peço que escutem os mais de 4 milhões de estudantes já inscritos para a escolha da nova data de aplicação do exame”, disse o ministro.

 Confira abaixo a íntegra da nota divulgada pelo Inep:

“Atento às demandas da sociedade e às manifestações do Poder Legislativo em função do impacto da pandemia do coronavírus no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC) decidiram pelo adiamento da aplicação dos exames nas versões impressa e digital. As datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais.

Para tanto, o Inep promoverá uma enquete direcionada aos inscritos do Enem 2020, a ser realizada em junho, por meio da Página do Participante. As inscrições para o exame seguem abertas até às 23h59 desta sexta-feira, 22 de maio”.

Fonte: G1