Emanuel cita efeito cascata e se diz contra aumento de seu salário

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou ser contra um possível aumento de seu salário, atualmente fixado em pouco mais de R$ 23,6 mil.

Um projeto de lei em elaboração pela Câmara de Vereadores deve fixar o teto remuneratório no Município, o que elevaria a remuneração do prefeito para R$ 30,4 mil.

“Sou contra o aumento de salário e o presidente da Câmara [Misael Galvão] sabe disso. Não quero que aumente, como também não quero que diminua. Não quero hipocrisia nessa discussão: ‘ah, vamos diminuir o salário’. Não. Quero que fiquei como está desde o primeiro dia que assumi o mandato”, disse Emanuel, nesta sexta-feira (18).

Por determinação da Constituição Federal, o teto remuneratório dos servidores é atrelado ao salário do prefeito.

Qualquer aumento vai desencadear um efeito cascata para algumas categorias de servidores, o que não está no meu planejamento

Emanuel alegou que a Lei Orçamentária Anual (LOA) do próximo ano não prevê qualquer tipo de reajuste neste sentido, o que elevaria os salários de demais categorias.

Além disso, seriam reajustadas, também, o salário do vice-prefeito, hoje fixado em R$ 15 mil, além da remuneração dos secretários, que é de pouco mais de R$ 13,6 mil.

“Qualquer aumento vai desencadear um efeito cascata para algumas categorias de servidores, o que não está no meu planejamento. O que está na LOA do ano que vem é o atual salário do prefeito”, disse.

“Entendo e respeito os que lutam pelo aumento do teto para poder melhorar suas categorias, mas tudo tem limite. Estou cumprindo compromissos com as categorias, com pé no chão, responsabilidade, com todo cuidado e zelo com aquilo que merece a população”, acrescentou.

Em entrevista recente, o presidente da Câmara, Misael Galvão (PSB), informou que o projeto de lei sobre o novo teto deve ser apresentado nos próximos dias.

Se aprovado na Câmara, o projeto segue para a sanção do prefeito.

Caso seja vetado por Emanuel, o texto retorna para os vereadores que podem derrubar ou não o veto do prefeito.

 

Fonte: Mídia News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *