Protesto contra a reforma da previdência reuniu manifestantes em Cuiabá

Da Redação – Por Michelle Cândido/ Foto: Lucas Leite 

 

 

Manifestantes protestaram em oposição à reforma da previdência e contra os cortes na educação, nesta sexta-feira (14), na Praça Ipiranga, em Cuiabá. A mobilização acontece em todo Brasil, denominada como “Greve Geral”.
Participaram do ato dirigentes sindicais do estado, Sindijufe, Sisma, Fenajufe, Adunemat, Sintep, Sinpaig, Sintuf, Adufmt, fórum sindical, Cut, Nova Central além de servidores públicos estaduais e federais, estudantes e a população da baixada cuiabana.

Foto: Lucas Leite

A vice-presidente da Associação dos Docentes da Universidade do Estado de Mato Grosso (Adunemat), Edna Sampaio afirma que a reforma da previdência inviabiliza a aposentadoria dos trabalhadores rurais que tem dificuldade de comprovação de tempo de serviço, é um projeto que destrói o direito fundamental das pessoas que trabalharam a vida inteira em ter o direito de se aposentar.
“Além de retirar da classe trabalhadora o direito da aposentadoria, praticamente igualam a idade entre homens e mulheres para se aposentar, desconsiderando a sobrecarga de trabalho, o fato de que as mulheres têm tripa jornada de trabalho, ainda vivemos numa sociedade extremamente patriarcal”, explanou Edna Sampaio.
Os deputados Lúdio Cabral (PT) e Valdir Barranco (PT) também marcaram presença no ato.
“A sociedade não está ciente da perversidade da reforma da previdência, que tira direito do povo trabalhador, das mulheres principalmente, trabalhadores rurais, por isso temos que fazer esse trabalho de conscientização e também de mobilização, precisaremos de mais manifestações como essas nas escolas, ruas, bairros, igrejas, aeroportos, pois a reforma da previdência caminha para o seu desfecho final, não podemos para de lutar”, afirmou Valdir Barranco.
Para o deputado Lúdio Cabral isso não é reforma da previdência, “é a demolição do sistema de seguridade social brasileira, e se aprovada como está, o trabalhador não viverá para se aposentar no Brasil, quem ganhará com isso será apenas os bancos que continuaram cada vez mais poderosos”.
Lúdio fez questão de dizer que a pauta lula livre está atrelada nessa luta, pois se trata da defesa do estado democrático de direito, “os vazamentos que ocorreram das conversas entre procuradores da justiça federal e juiz federal, demonstra que todo processo que levou a prisão do Lula foi uma conspiração de natureza política, para prender o maior líder popular brasileiro e evitar sua candidatura a presidente. Lula seria o presidente da república hoje se toda essa conspiração não tivesse acontecido, então a pauta lula livre esta sintonizada com a luta que os trabalhadores estão fazendo, porque se Lula fosse presidente não haveria essa proposta do congresso hoje da demolição da previdência social”, finalizou.
PEC06/2019

A Greve Geral tem como principal intuito protestar contra a Reforma da Previdência. Ela tramita na Câmara dos Deputados, e caso aprovada, além da obrigatoriedade da idade mínima de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres, reduz o valor das aposentadorias. Para ter acesso ao benefício integral, os trabalhadores e trabalhadoras terão de contribuir por, pelo menos, 40 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *