Mendes reafirma que não tem dinheiro para pagar emendas impositivas

O governador Mauro Mendes (DEM) voltou a reafirmar que o Estado não tem condições de pagar integralmente as emendas impositivas. O democrata ainda fez questão de lembrar que na gestão do seu antecessor, Pedro Taques (PSDB), apenas 28% das emendas foram pagas.

 

Apesar de destacar os últimos 4 anos, Mendes não fez citação nominal ao seu adversário. Sobre as emendas, Mendes foi questionado durante evento na Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM).

 

“Nos últimos 4 anos, apenas 28% das emendas foram pagas. A emenda é importante, porque os deputados podem ajudar na execução de políticas públicas, porque eles conhecem muito bem a realidade da maioria dos municípios do Estado. Entretanto, isso tem que ser feito dentro daquilo que é possível”, reforçou o governador.

Mauro afirmou que só irá confirmar o pagamento quando o Estado tiver condições. “Não podemos confirmar o pagamento daquilo que o Estado não tem condições financeiras para arcar.  O que for combinado será cumprido”, acrescentou.

 

Durante o evento, Mauro destacou a necessidade de trabalhar em parceria com as prefeituras para que seja possível levar as políticas públicas até a ponta, onde o cidadão está.

 

“Estamos trabalhando para que programas sejam desenvolvidos nos municípios em parceria com o Estado e que possam beneficiar a todos. O Estado está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), mas temos condições de sair e as parceiras serão fundamentais nesse processo”, destacou.

 

A reunião contou com a presença do presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Glademir Aroldi.  “Temos que mudar algumas situações da administração pública e aprovar algumas reformas que são importantes, como a reforma da previdência. Não adianta fazer de conta que nada está acontecendo. O Brasil já deve 80% do seu PIB (Produto Interno Bruto), e isso é impagável. Fechar os olhos para essa realidade não vai mudar a realidade”, ressaltou.

 

Crédito: Gazeta Digital

Foto: Tchelo Figueiredo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *