Governo prevê publicar plano para o setor de energia até 2050

O governo federal deverá publicar em dezembro o Plano Nacional de Energia 2050, que apresentará diretrizes para a política do país no setor nas próximas décadas, disse o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, durante audiência na Câmara dos Deputados.

Ele armou ainda que há discussões em andamento no governo sobre a possibilidade de aumentar o horizonte de um outro estudo de planejamento publicado periodicamente, o chamado Plano Decenal de Energia (PDE).

O último PDE divulgado, para até 2027, foi publicado em dezembro do ano passado, enquanto o mais recente estudo de longo prazo é o Plano Nacional de Energia 2030, lançado em 2007.

“Estamos até pensando em rever esse Plano Decenal, para 15 anos, para que dê uma visibilidade maior para o setor”, armou Albuquerque, destacando que o governo quer garantir “previsibilidade” para os investidores com a medida.

Ao responder a perguntas de parlamentares, o ministro armou ainda que a pasta de Minas e Energia pretende divulgar no próximo mês um plano para abertura do setor de gás natural no país, que o governo vem chamando de “Novo Mercado de Gás”.

“Nós pretendemos até o mês de abril apresentar o modelo… Eu até já me autoconvido para vir aqui em abril para apresentar”, disse o ministro, em audiência na Comissão de Minas e Energia da Câmara.

Mais cedo neste mês, o ministro havia falado de uma previsão de lançamento do programa para o gás natural até junho.

O ministro também armou a parlamentares que o governo está próximo de acordo com a Petrobras sobre a revisão do contrato da chamada cessão onerosa, assinado com a estatal em 2010, mas não entrou em detalhes.

Em terceiro lugar caram as termelétricas a biomassa, com 19 projetos e 1 GW de potência.

Foram ainda cadastrados pela EPE, 44 projetos de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) somando 606 megawatts (MW); 4 Hidrelétricas, com total de 164 MW; e 12 Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGH), com 32 MW.

A Bahia continua sendo o Estado com maior número de projetos, tantos fotovoltaicos como eólicos, com cadastro de 193 e 260, respectivamente.

O Rio Grande do Norte vem em segundo lugar, com 124 projetos de energia solar e 181 de energia eólica, seguido pelo Piauí, com 178 projetos de energia solar e 80 de energia eólica.

 

Da Redação, com informação da Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *