Secretário de Saúde de Cuiabá vai processar vereador Abílio

O secretário de Saúde de Cuiabá, Luiz Antônio Pôssas de Carvalho, denunciou o vereador Abílio Júnior por calúnia e difamação nesta última quinta-feira (21). Pôssas pede também uma indenização ao vereador, que o teria acusado de tráfico de influência por agir em favor de uma empresa que presta serviços farmacêuticos a Prefeitura de Cuiabá.

Abílio disse que Pôssas age para beneficiar o laboratório Afip. A empresa de assessoria jurídica de Pôssas, o escritório Civitas, tem contrato com a Afip, que presta serviços para um laboratório do município de Cuiabá, o Lacec. Em visita ao recém construído Hospital Municipal de Cuiabá na última terça-feira (19), o secretário já manifestava o desejo de processar o vereador. Irritado, ele chamou Abílio de canalha e informou que se licenciou do escritório antes de entrar para o plantel político de Emanuel Pinheiro (MDB). Agora, segundo o secretário, quem administra a empresa é sua filha.

 

“Essa empresa contratou meu escritório 15 anos atrás, nem existia a gestão Emanuel Pinheiro na época. Segundo: é uma empresa que tem cláusulas uniformes com a prefeitura e nunca foi favorecida, nunca assinei uma ordenação de despesa e não vou assinar porque eu sou ético, além de correto, eu sou ético”, defendeu-se o secretário.

O vereador do PSC disse que não notificado do processo aberto contra ele e que só recebeu uma espécie de “cópia” do pedido inicial, que contém uma série de documentos sobre as empresas citadas na denúncia feita por Abílio, considerada “difamatória” pelo secretário. No pedido, foi anexado uma cópia do contrato entre a Afip e a Civitas.

 

Abílio argumentou que não poderia ser processado por ter “imunidade parlamentar”, uma vez que a acusação teria sido feita na tribuna da Câmara Municipal. Ainda de acordo com o vereador, o caso é um sinal de que Pôssas tenta “desviar o foco” sobre a questão da Saúde em Cuiabá.

 

“Como que ele quer me processar por uma coisa se eu falei no plenário, se eu sou vereador de Cuiabá?”, questionou. “Eu fiz uma denúncia do secretário e não da pessoa dele, eu estava no exercício da minha função, tenho poder outorgado para isso e denunciei com provas, com todos os documentos”, criticou Abílio.

 

A reportagem do jornal A Gazeta entrou em contato com o secretário para saber mais detalhes sobre a ação. Por telefone, Pôssas explicou que não tem interesse em comentar sobre o assunto e que o assunto deve ser tratado pela Secretaria Municipal de Inovação e Comunicação (Sicom). A assessoria informou, contudo, que só poderia oferecer mais informações sobre o processo na tarde desta sexta-feira (22), após o fechamento desta edição.

 

 

 

 

 

Crédito: Gazeta Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *